27 maio 2011

a cozinheira no seu labirinto

Era quarta-feira, dia de Santo Aldi, e lá fui à minha peregrinação semanal. O Aldi tem coisas óptimas, mas é só quando calha. Na quarta tinha pato, e decidi logo ali que ao jantar ia haver pato com laranja.

Do que me havia eu de lembrar! Pensava que era uma receita simples, tipo "meta uma laranja no bucho do bicho, meta o bicho no forno, faça um molho com cenoura e sumo de laranja, pronto, já está", mas nada disso. Tive de procurar em 10 livros diferentes para encontrar uma receita. Os meus preferidos, com receitas simples, muitas fotografias e poucos ingredientes, não tinham pato com laranja. 
Oh, diabo - devia ter ficado desconfiada!

Abri o grande Kiehnle, que é um livro antiquíssimo com 703 páginas, 50 fotografias (a preto e branco) e 2343 receitas, o que dá uma média de 4 linhas por receita, ingredientes incluídos.  Tinha pato com laranja, apenas 3 linhas de receita. "Óptimo!", pensei eu.
Era bom, era!
A receita era assim: assar um pato (v. receita 859). Usar a gordura para fazer o molho de laranja da receita 433. Cortar o pato em bocados, regar os bocados com esse molho, decorar com rodelas de laranja.
A receita 859 já tinha 15 linhas, por isso resolvi assar o pato às três pancadas. Para o molho de laranja lá me arrisquei até à receita 433, que era muito simples, mas pedia um molho escuro (receita 414).
Cheguei à receita 414, demorava duas horas a fazer.
Nem pensar.

Mandei passear o Kiehnle, fui ver ao "la cuisine pour tous", que parece ser o Kiehnle francês. Canard à l'orange, 17 linhas, sem remeter para mais receita nenhuma.
Vive la France.

O pato já estava no forno, 20 minutos antes de servir comecei a fazer o molho. O problema é que não tinha verificado os ingredientes no dicionário. Cinco minutos antes de chegarem as visitas percebi o que era "glace de viande".
Meu reino por um bacalhau, nunca mais na vida faço outra coisa que não seja bacalhau à brás, e quem não gostar que deixe na beira do prato.

7 comentários:

mdsol disse...

Sorrio... podia acontecer-me a mim. Só que não teria o engenho de o dizer tão bem.

:)))

Helena disse...

mdsol, será que podemos combinar um máximo de 3 elogios por semana?
;-)

Cristina Gomes da Silva disse...

heheheh! Posso oferecer-te um partinho de lentilhas? Assim não tens de andar nesses assados :-)

Helena disse...

primeiro diz-me como é a receita...
;-)

mdsol disse...

São sentidos, mas se for necessário aplicar medidas de austeridade, o meu sentido patriótico alinha imediatamente.
:)))

io disse...

ahahahah! Pareço eu que me lembrei de fazer, na passagem de ano, paté de azeitonas e descobri já quando as visitas estavam a entrar que não tinha ricotta, coisa que da receita parecia ser essencial. Foi sem ricotta. Ficou na borda do prato. :-)

Helena disse...

hehehe
"Et tu, Io?"