21 setembro 2012

Acordai!







O convite que recebi para o "Acordai!" vinha acompanhado pelo texto seguinte, da autoria de Ana Maria Pinto, a mulher que iniciou este movimento:

Vivi 7 anos em Berlim. Aprendi muito, a bem e a mal, sendo esta a minha mais importante lição: sou do mundo, mas pertenço à terra onde nasci. Sinto hoje o meu coração pulsar mais lúcido e mais convicto de que sou artista porque a Arte é o mesmo que Consciência e Evolução. E é como artista que me recuso emigrar, levantando a voz bem afinada contra quem me quer obrigar à subtração! Se um cantor alemão tem direito a trabalhar e a viver na terra onde nasceu, também eu vou lutar por esse direito! E é já amanhã!

Neste momento, o coro já vai em mais de seiscentas pessoas. Penso que o "Acordai!", com poema do José Gomes Ferreira e música de Fernando Lopes-Graça, vai ecoar por toda a Europa.
Nem sei como dizer o orgulho - e sobretudo a admiração - que sinto por estes artistas de Portugal.  



12 comentários:

camalees disse...

Belíssimos música,letra e mensagem. A luta pelos direitos é um acto de coragem e maturidade político-social.
Dispenso apenas a alfinetada à Alemanha no convite.

PS: O You Tube é de facto uma arca do tesouro. Obrigada Helena.

Helena disse...

Helena, não é preciso agradecer. Eu limitei-me a passar o que recebi. E sim, é verdade: o youtube é muito melhor que a caverna do Ali Babá!
(o que é mais um motivo para acreditarmos na espécie humana: o que ali anda é o fruto do serviço gratuito de milhões de desconhecidos)

Não sinto aquilo como alfinetada à Alemanha, mas como apontar a Alemanha como um exemplo: Portugal também se deve tornar num país onde os artistas podem ganhar a sua vida.

Bába disse...

Obrigada pelo seu blog, ele é o verdadeiro serviço público! Preciávamos tanto de embaixadores/ras da nossa luta a mostrar aos restantes estados membros a tortura que por aquí se faz! Helena, não lhe estou a fazer um simples convite estou a apelar para que consiga explicar ou tentar explicar aí a experiência macabra que se está a fazer com os portuguêses! Vive-se a guerra, o medo, o pânico nos olhos das pessoas. É difícil trabalhar sem chorar! É difícil continuar a educar sem chorar! As nossas crianças começão a dar sinais de ansiedade/confusão/desnorte... Portugal está desempregado e o único que conseguem fazer (governo, troika,...) é dar-lhe um "Credibom" de 500€ que mal entram na conta se derrete para pagar empréstimos antígos! Mais do que lideres, precisam-se de lideres espirituais! Ninguém consegue pensar em empreender com a pistola apontada à cabeça! Desculpe o desabafo... é muita informação e poucas luzes ao fundo do tunel...

Helena disse...

Bába, tenho contado aos meus amigos alemães como é a situação em Portugal. Eles ficam perplexos.
O meu filho, outro dia, quando soube do aumento da TSU, sugeriu passar a mandar metade da sua mesada para a nossa vizinha em Portugal, que ganha salário mínimo.
As pessoas por aqui vão sabendo, e compreendem que os povos reajam à austeridade.

A. Castanho disse...



Helena, se calhar tu ainda vais a tempo de organizar um "ACORDAI!" simultâneo (aí será às 18h 30m...), em frente à Embaixada portuguesa em Berlim!


Nem que seja para mostrar aos berlinenses de boa-vontade um pouco do mais desconhecido e valioso que há na alma e na cultura portuguesas...


Até podes pôr alguns deles a aprender e a trautear convosco! O mais difícil é a linha de Contralto, o resto é facílimo (e belíssimo).

Carla R. disse...

Lindo !
Se soubesses como me anda a apetecer estar este mês em Portugal...

Helena disse...

Não sei, não, A.Castanho. Em quatro horas? Era preciso que eu os conhecesse e estivessem todos ao computador à espera que eu os desafiasse para isto...

Carla,
Isso. E não apenas este mês. Até já saberia qual seria a minha participação no esforço de cidadania que é cada vez mais urgente.

Carla R. disse...

Então ?

Helena disse...

Uma associação de contribuintes, para controlar a pente fino os gastos do Estado. Já falei com um amigo, a ver se ele se quer lançar nisso - pela minha parte, vou aqui à sede dos contribuintes alemães, e pergunto-lhes como funcionam. (Não é preciso inventar tudo de raíz.)

Carla R. disse...

Excelente !

Helena disse...

:)
(mas "tudo está por fazer, e tudo é possível")

Bába disse...

Helena, seria muito interessante uma associação de contribuintes! como é que funciona aí? deixa-me ao corrente: ba.fachada@gmail.com
Eu ainda acredito que "tudo está por fazer, e tudo é possível!"

Carla, isto do ACORDAI fez me acordar a sério, no outro dia ouvi uma história sobre branqueamento de informação em relação à nossa demografia que me intrigou, é verdade que a França teve políticas de estímulo à natalidade nas ultimas décadas e que a pirâmide demográfica deles começou a ficar mais equilibrada? É que no outro dia mostraram-me números assustadores sobre a natalidade em Portugal. Sem crianças não há legado, não há creches, não há empregos na área da educação, não há necessidade de construir parques infantis, os avós envelhecem sem netos e sem brilhozinho nos olhos, as industrias de brinquedos, leites, estrelitas e afins acaba... sem crianças não há esperança... e que incentivos foram dados em Portugal para inverter esta tendência?! Portugal está a ficar vazio de bebés! Como vamos suportar as reformas e cuidar dos mais idosos se não há renovação da espécie? (e não, ainda não pertenço à igreja nem às famílias numerosas :-)