02 março 2012

"mas que voz!"



Carlos,
Obrigada pela sugestão para o concerto com a Ewa Podles! Foi ontem, na Filarmonia. Cantou apenas uma ária (a que começa neste vídeo no 27º minuto), e deixou toda a sala rendida. A sua voz, quase masculina, começou por me surpreender, para logo a seguir me encantar: que modulação! E que impressionante interpretação da mulher que procura o seu noivo no campo da batalha. Mais que uma mulher, parecia que daquele chão se levantava toda a terra russa em busca do seu jovem noivo.
Na cadeira ao meu lado, um russo chorava. No fim, pediu-me o programa, perguntou-me quem era a cantora. "Ewa Podles?! Polaca?!" - estava para lá de tudo, incapaz de apreender mais do que o milagre daquela voz. "Mas que voz!", repetia ele uma e outra vez. Mesmo depois do intervalo, ao sentar-se, de novo: "mas que voz!"

Assustou-me ver a dificuldade com que se move. Subiu os degraus do palco lenta e pesadamente, muito a custo. No fim, quando voltou à sala, já não subiu ao palco. Que se passará com ela?


Paulo,
o Eisenstein persegue-me (e eu gosto): depois do Outubro, com o Frank Strobel e a Rundfunk-Sinfonieorchester Berlin,  no Friedrichstadtpalast, ouvi ontem a música que Prokofjew fez para o "Alexander Newski", de 1938, com a Deutsches Sinfonie Orchester Berlin e o seu novo maestro, Tugan Sokhiev. Por vezes fechava os olhos e imaginava como seriam as cenas de Eisenstein em diálogo com esta música. Mas o mais curioso foi sentir a xenofobia e o nacionalismo a atravessar descaradamente as frases musicais: a dureza dos sons dos alemães, o lirismo dos russos. Por esses dias, o Estaline já não estava muito virado para a Internacional...

Depois do intervalo tocaram a quarta sinfonia do Schostakowitsch. Comecei a olhar para a porta, ali tão perto, tão tentadora. Lia no programa que o seu autor terá dito "Não fujo às dificuldades. Pode ser mais cómodo e seguro avançar por caminhos já feitos, mas é maçador, desinteressante e inútil", e lamentava que ele tivesse escolhido ir a corta-mato. Mais à frente lia sobre a opção de uma orquestra gigantesca, embora desnecessária, tentava perceber do que ouvia o que era gigantesco, e porquê desnecessário, lembrava a crítica do Karajan (tu sabes, daquela conversa no bar dos artistas), que dizia que os programas deviam ser abolidos, porque as pessoas se põem a ler aqueles disparates em vez de ouvir, e se lêem que no terceiro andamento há um rufar dos tímbales ficam o tempo todo à espera do rufar dos tímbales e no fim é o que levam desse concerto: um rufar dos tímbales no terceiro andamento.  
Mas fiquei até ao fim, e ainda bem que fiquei: gostei muito do segundo andamento, e daquela marcha fúnebre no início do terceiro, cujo tema vai passeando pelos vários naipes.  

No programa tinham também uma imagem da montagem vertical de uma sequência: tom e imagem. Por sorte encontrei algo semelhante na internet:


  (daqui)

Agora estou a pensar se vou ouvir o Thielemann no próximo domingo, ou se compro por 10 euros 24 horas no Digital Concert Hall e ouço a transmissão directa em casa, e aproveito para vasculhar mais um bocadinho naquele arquivo. 

8 comentários:

Paulo disse...

Ewa Podles é extraordinária. Ouvi-a há muitos anos no Palácio de Queluz, durante o Festival de Música da Costa do Estoril(?). Que voz! Inesquecível.

Olha o Alexander Nevsky todo.

Paulo disse...

Ah, o som é um bocado mau.

Helena disse...

Obrigada, Paulo!
Este filme, a orquestra e os cantores de ontem, e mais os compinchas tal como da outra vez, no Friedrichstadtpalast, ah, isso é que era!

Paulo disse...

Pois era. Também já tinha pensado nisso. Não sei se existe alguma cópia restaurada, mas há um estúdio em Munique que faz milagres.

Helena disse...

:-)

Carlos Azevedo disse...

Helena, ainda bem que gostou. É, de facto, uma cantora maravilhosa. A primeira vez que a escutei foi num disco de árias de Rossini para Contralto. Depois, rendido, adquiri tudo o que consegui.
Quanto às dificuldades de locomoção que refere, espero que seja algo passageiro...

Carlos Azevedo disse...

Helena, já agora, escute isto: http://www.youtube.com/watch?v=qAueXMs29IM

Até fico arrepiado!

Gi disse...

Eu adorava ouvir a Ewa Podles ao vivo! Tem de facto uma voz extraordinária.