21 março 2011

bem sei que no mundo está a acontecer tudo ao mesmo tempo...

...mas de momento a questão que mais me aflige é esta: que pilhas devo comprar para os alarmes de incêndio? É que as últimas que usei só duraram quatro meses, e deviam ser proibidas - tanto material que se gasta, tanta energia para produzir aquilo, tão pesada factura ecológica, e para quê? Para ao fim de quatro meses eu ter de ir buscar outra vez o escadote e trocar tudo.
(e logo eu que morro de medo de subir mais que dois degraus, não sei porque é que ainda não inventaram escadotes com cinto de segurança e música calmante)

Portanto: agradeço que me digam o que devo comprar, porque as bloco 9 V da marca Carrera nunca mais voltam a entrar cá em casa. Humpf e aiminhamãequevoucaiiiiiiiiiiir!

(e: é chocante a quantidade de material altamente poluente que vou deitar fora ao fim de quatro meses, só porque algum senhor esperto achou boa ideia reduzir o tempo de vida das pilhas para poder vender mais quantidade - as anteriores duraram um ano, mas infelizmente esqueci-me de reparar na marca) (por estas e por outras é que me parece que o nosso mundo precisa de dar uma grande volta) (por exemplo - e já agora pergunto a vossa opinião - que tal se deixasse apenas um detector, no máximo dois, em vez dos dez que aí tenho?)

12 comentários:

Rita Maria disse...

Era só para dizer que o teu escadote é muito seguro, já estive lá mal pendurada nos últimos degraus e nao vacilou. Coragem!

Helena disse...

pois eu, quando chego lá acima, começo a ver azul por todos os lados - será o céu?

;-)

(não vejo nada, era só para me meter contigo)

A. Castanho disse...

Parece-me boa ideia deixares apenas dois detectores, no máximo, desde que desactives os oito que estão nas zonas com menor risco de incêndio (menos fontes de ignição e menor quantidade de matéria combustível)...

Gi disse...

Se calhar não são mesmo precisos os dez, serão?

(E o meu ódio pessoal: as lâmpadas que supostamente duram vinte mil horas e fundem tão depressa ou mais do que as outras)

Jonas disse...

errr... recarregáveis?

ANTIFALSIDADES disse...

Eu não tenho esse problema. Uso dois cães "sem marca" ...mas a esta hora o inventor da pilha deve estar a dar uma "Volta" no túmulo pois estão a usar a sua invenção para o lucro fácil poluente!

António P. disse...

Boa noite Helena,
Cá está uma área onde não a posso ajudar. Lamento.
Pode sempre contratar um consultor :))
Boa semana

Helena disse...

Jonas,
e o escadote, heinhe? Um dos problemas é ter de ir buscar o escadote e andar de divisão em divisão a mudar pilhas.
Eu queria umas pilhas que durassem quatro anos, e não as recarregáveis que tenho de mudar de duas em duas semanas. Nesse caso, mais me valia integrar o escadote na decoração da casa...

Antifalsidades,
empresta-me um dos cães?

A.Castanho e Gi,
quem me instalou os dez foi o meu cunhado especialista nestas coisas. Ele lá sabe, mas contou-me histórias mirabolantes sobre a rapidez com que o fogo se propaga. Até me mostrou este filme, de um pinheirinho de Natal que em menos de um minuto deixou a sala a arder completamente:
http://www.youtube.com/watch?v=3Ph-9WefkT0

E também há a história do filho da minha amiga, que se pôs a ler com o candeeiro escondido debaixo do cobertor, adormeceu, o candeeiro aqueceu e o colchão começou a arder em fogo lento. O pai não reparou, porque o cheiro só se espalhou progressivamente. Só quando a mãe chegou a casa é que descobriram.
O colchão já estava meio ardido, mas por milagre não aconteceu mais nada.

Em suma: já viram com que cara é que eu vou desta para melhor se reduzo os detectores de dez para dois e eles não disparam a tempo de nós podermos reagir?

Helena disse...

No entretanto, o escadote lá continua no meio da sala, à espera que me digam quais são as pilhas que duram mais.
Agradeço que me digam também o mesmo quanto às lâmpadas de halogéneo, que a anterior durou três anos e a baratinha que comprei a seguir durou três meses...

Gi, como a compreendo.
E cada vez me irrito mais com estes truques inteligentes de reduzir a vida útil das coisas para a gente comprar mais. O que isso custa ao meio ambiente!

Rita Maria disse...

O melhor é não impores limites horários para a leitura nocturna dos teus filhos. Toda a gente sabe que é uma crueldade, eu ainda nao recuperei...;)

Helena disse...

Pois é. A história do colchão a arder provocou um salto epistemológico nessas nossas regras básicas...

majoao disse...

a propósito de"material altamente poluente" aconselho a ver:

OBSOLESCENCIA PROGRAMADA
http://www.youtube.com/watch?v=QosF0b0i2f0&feature=player_embedded#at=138