15 março 2011

ajudar ou não, eis a questão

De momento, o Ministério dos Negócios Estrangeiros alemão desaconselha qualquer viagem ao Japão que não seja estritamente necessária. Ainda não chegou ao ponto de insistir no cancelamento de toda e qualquer viagem, e de repatriar todos os alemães que estão no Japão, mas a embaixada alemã naquele país recomenda aos seus cidadãos residentes na área de Tóquio/Yokohama que acompanhem atentamente as notícias e considerem bem os motivos para continuarem a morar no país - especialmente no caso de famílias com filhos pequenos. Também prestam informações sobre o uso de cápsulas de iodo para se protegerem dos efeitos da radiação.(*)
Ontem temia-se que o vento e sobretudo a chuva com elementos radioactivos atinjam a cidade de Tóquio, hoje confirmou-se que foi medido um nível de radioactividade anormal nesta cidade. 

À luz destes avisos, aqui manifesto a minha enorme admiração pela equipa de 41 alemães e 3 cães que no dia 13 de Março chegou ao Japão para ajudar em operações de salvamento na cidade de Tome. Pelos soldados americanos que estão a participar em operações de resgate. Por todos os que ficam naquela região a ajudar, em vez de se porem a milhas. E sobretudo pelos que continuam no inferno das centrais nucleares desgovernadas, e estão a arriscar a sua saúde e até a sua vida para tentarem minorar os efeitos da catástrofe. No meio do sofrimento e do terror, esta gente heróica dá-nos sinais de uma responsabilidade e humanidade muito para lá do exigível.
Quando eu for grande...
...acho que nem mesmo aí seria capaz de ser como eles.



-------

(*) Mudando completamente de assunto: tentem encontrar este tipo de informações no site do Ministério dos Negócios Estrangeiros português, e digam-me quanto tempo demorou. Pode ser que eu esteja a procurar mal, mas confesso que não vejo qualquer informação para portugueses em visita ou residentes no Japão.
Não era preciso criar uma comissão especial para estas coisas, com 10 membros e reuniões semestrais, nem ter um especialista de informática especialmente encarregado de tratar disto. Talvez bastasse fazerem um acordo com o MNE alemão para autorizar a tradução e publicação destas informações, e arranjarem um tradutor para ir actualizando a página. O site é este: Auswärtiges Amt.
(aqui em inglês, infelizmente sem a parte relativa a viagens ao estrangeiro)
O site do MNE do Reino Unido também não está mau, como se pode ver pela página relativa ao Japão: Travel & living abroad.

1 comentário:

Dadinha disse...

Helena, O reconhecimento do valor do outro tb é nobre!

Sim, o Homem é capaz do pior mas tb DO MELHOR.

É exactamente no sofrimento, nas piores horas da nossa vida que exercitamos o nosso verdadeiro eu, mostramos de que "massa" somos feitos e tb descobrimos quem nos ama e como nos ama.

Por isso no sofrimento - nosso ou dos outros- mostra-nos se somos "um rato ou um homem".

Eu até vou mais longe. É no sofrimento e na alegria: o modo como vivemos os nossos momentos felizes tb diz muito sobre aquilo que somos.

Bem hajam, os que se demarcam dos "ratos".