11 novembro 2012

"e tudo faremos para que a mensagem do filme chegue ao seu destinatário"


Este é o Sony Center ao fim de um dia frio. Podia ser às 19 horas do dia 11 de Novembro, véspera da visita da chanceler alemã a Portugal.

Imagino que o écran no qual o Marcelo Rebelo de Sousa queria passar um filme que "visa a realidade portuguesa atual e contém uma explicação dos sacrifícios a que os portugueses estão a ser sujeitos com a aplicação das medidas do memorando da troika" é esse que se vê do lado direito, em baixo - numa praça que em Novembro é gelada, e onde praticamente só há turistas.

Dando de barato que - ao contrário do que temo quando leio que o povo alemão "tem uma ideia péssima dos portugueses" - o filme estará bem feito, gostava de perguntar:
- Quanto custa o aluguer desse espaço? Quem paga?
- Qual foi a "autoridade alemã"que proibiu a sua projecção? Com base em que lei? (e é melhor não tecer comentários sobre a formulação do Expresso "A Alemanha recusou a divulgação no país do vídeo sobre Portugal")

O Marcelo Rebelo de Sousa podia ter preparado um filme informativo para oferecer às televisões alemãs, podia ter optado por divulgá-lo na internet, mas não: escolhe uma praça fria, a uma hora onde no máximo há um punhado de turistas a caminho do restaurante ou de algum espectáculo, para "fazer chegar a mensagem aos seus destinatários".

Não é por nada, mas quer-me parecer que os destinatários desta mensagem são os portugueses, e isto é um mero acto de campanha eleitoral. Sendo assim, ainda bem que lhe recusaram a projecção do filme: fez um brilharete perante os verdadeiros destinatários, e poupou o dinheiro do aluguer. Mission accomplished. 

(as aspas referem-se a este artigo do Expresso)

***

Adenda:
Entretanto o filme já está no youtube.


Segunda adenda:
Vejam o filme sem som. Era assim que ele ia ser visto no Sony Center - porque naquele espaço semi-aberto não há condições para se ouvir bem o som dos filmes que lá passam.
(O melhor é parar de fazer adendas - isto está cada vez pior.)

18 comentários:

camalees disse...

Excelente post.

A formulação do Expresso é lamentável.E mais não digo porque me faz urticária.

hpc disse...

Tudo bem, ou tudo mal como queiram. Já percebi que a ideia de projectar o filme na praça Sony era uma tontice, cara ainda por cima. Mas foram razões políticas que a impediram? isso é que me interessa saber. Mas será que os alemães de vez em quando não se espalham? Será que estavam assim tão preocupados com a imagem de tonto do MRS e que ainda temos que lhes agradecer?

Helena disse...

hpc,
pois, essa é a parte que gostava que explicassem com transparência: quem proibiu ("autoridade alemã"? a empresa que gere aquele espaço?)? Com que motivos?

Sem estas informações, tudo o que possamos dizer sobre a proibição é mera especulação. Pode ser um erro de alguém - aguardemos por mais informações.

Paulo disse...

Assim de repente, parece-me que quem poderia decidir sobre a passagem do filme é quem manda na Praça Sony. Não?
Dizer que foi a Alemanha que não o permitiu é um abuso. Eu, se fosse a Alemanha, processava o professor e mai-lo Moita de Deus.

Helena disse...

Paulo,
Assim de repente quem deve ser processado é o Expresso, não? Foi o Expresso que escreveu essa notícia nesses termos. Se era para processar o professor e o Moita de Deus, devia haver aspas no texto, ou deixar claro que o jornal os estava a citar.
Mas a Alemanha não vai processar ninguém. Se fosse para processar jornais e pessoas que fazem um discurso que pretende degradar a imagem da Alemanha e dos alemães, não se fazia outra coisa senão correr para os tribunais...

Paulo disse...

Ah sim, claro. O Expresso. Mas já agora, gostava de saber qual será a reacção da embaixada alemã ao protesto de Moita de Deus.

Paulo disse...

O Público também já deu a notícia e os moldes são semelhantes.

Helena disse...

Também estou muito curiosa. De conhecer a reacção da embaixada, mas também de saber quem foi essa tal autoridade, e baseada em que leis.

marcia disse...

Obrigada por colocar o filme, Helena.

Não estava à espera de uma grande produção mas logo no primeiro minuto surge aquela declaração "e sem plano Marshall": presumo que a intenção fosse contrapôr com o exemplo da reconstrução alemã, o que por si só seria desnecessário e, na minha opinião, até está formulado de um modo pouco cortês ... para além disso, peca por ser uma informação falsa. Portugal, ainda que inicialmente tenha recusado, formalizou o pedido a fundos americanos em Setembro de 1948 e Bastaria pesquisar no google "Plano Marshall e Portugal" para ser direccionado para artigos escritos por historiadores sobre esta questão...
A partir daí, todos os dados apresentados, ainda que estes possam ser inteiramente verdadeiros e devidamente confirmados pelos autores do filme, me deixam dúvidas.

Confesso que, depois de ver o filme, fico até um pouco aliviada por as "autoridades alemãs", sejam elas quais forem, não terem autorizado a projecção...

limelite disse...

maa afinal,onde está o filme??alguem ,me pode dizer?obrigada

Helena disse...

limelite,
desculpe, apaguei o link sem querer.

Helena disse...

Marcia,
e como é possível fazer essa menção ao plano Marshall e esquecer os fundos que a Europa mandou para Portugal?
Um número que me deixa embasbacada é a comparação das idades de reforma.
Outro que é ridículo é o do número de feriados: agora, reduziram para 9. Antes da troika eram 13. Há aqui um pequeno anacronismo, para melhor servir a demagogia.
Mas o mais chocante é aquela lista de despesas desnecessárias, que têm como elemento comum terem dado algum a ganhar aos alemães. Só falta mesmo dizer "devolvam-nos o dinheirinho, que nós, quando fizemos estes negócios convosco, éramos atrasados mentais"...

Cristina Torrão disse...

Que vergonha! Que coisa mais bacôca! Ainda bem que os alemães não vão ver o vídeo.

De resto, não iam entender nada!

jj.amarante disse...

Esse alemão da praça Sony foi muito simpático. Mas estamos lixados porque o filme vai ser posto na internet.

Helena disse...

Deixe lá, jj.amarante: não é nem tão mau nem tão bom que corra o risco de se tornar viral.

Conde de Oeiras e Mq de Pombal disse...



Uma xaropada demagógica e atrofiada, como as mentes dos seus criadores. Este Filme envergonha-me enquanto português, mas deveria ser passado no avião que neste momento sulca os céus europeus com a comitiva da Chanceler alemã, para se irem mentalizando para a tacanhez intelectual e a miséria ética dos fulaninhos com quem se vão encontrar e conversar dentro de poucas horas.

Ainda bem que este Filme foi feito e vai passar na "net", para assim ajudar a pôr a nu a pobreza do pessoal político que detém atualmente o Poder em Portugal, mas igualmente de uma franja social que domina os meios de comunicação e os centros do poder económico, bem representada por este galarô sem espelhos (intelectuais) em casa que é o prufeçor Marcelo e por uma carraça sem qualificação que dá pelo nome de Deus.

Vejam, vejam todos o Filme e APRENDAM, aprendam muito sobre as causas profundas, porque sociológicas, dos males presentes de Portugal - já que nada mais se aproveita desta peça de publicidade enganosa indigente e deplorável.

Helena disse...

Conde,
:(

Pedro disse...

Olá : Comecei por ver essa noticia do filme que a alemanha se recusava a passar , na RTP .A noticia RTP afirmava cito : E a Alemanha rejeitou divulgar no pais um filme sobre portugal.
O Video foi proposto por marcelo rebelo de Sousa, Mostra a Realidade Portuguesa, e alertava os alemães para os sacrificios que os alemães têm feito.
...

E quem não esperou mesmo foi a Alemanha que proibiu a exibição do filme ". Fim excerto noticia RTP Eu achei a notícia estranha. " Na alemanha existe um organismo que proiba a exibição de filmes ? " - Pensei . "Não creio. A Alemanha não é uma democracia ? ". Achei assim a notícia muito estranha. Esta noticia RTP foi emitida na vespera da visita de Merkel. Dois dias depois, hoje, vejo noticia no diário económico que desmente completamente a noticia RTP. Cito Diário Económico. 13 Nov 2012 . Especialistas criticam vídeo de Marcelo ..."No dia em que Angela Merkel visitou o país, o filme criado por Rodrigo Moita de Deus, passou em vários ‘outdoors' em Lisboa e, apesar de não ter sido mostrado na praça Sony, em Berlim - como era intenção dos seus promotores - foi transmitido em dois canais de televisão alemães e a estação pública ADR está a preparar uma reportagem sobre a produção, revelou o responsável pela iniciativa.". Afinal a alemanha não proibiu o filme. Este até foi passado em duas televisões.E a TV estatal vai fazer reportagem sobre ele !!! Por aqui se vê , se pode confiar na RTP http://economico.sapo.pt/noticias/especialistas-criticam-video-de-marcelo_156087.html