09 agosto 2013

ao entardecer, um cão...

Ao entardecer, um cão arrebita as orelhas. Ouve ruídos estranhos ao fundo do quintal, e há que defender a propriedade de todos os possíveis invasores. 
Mal sabe ele que o perigo vem de onde menos se espera.



Ladra como um desalmado. Contras as raposas e as cobras, os ratos e os pássaros. Contra os gatos vadios que procuram o seu prato de comida no quintal da vizinha. Contra a brisa - ou talvez para ela, com alegria: para a brisa, os aromas, a vida, a liberdade.
Mal abrimos a porta de casa, sai disparado a ladrar até à ramada que marca o fim do seu mundo, defende tudo aquilo a que tem direito. Faz uma barulheira terrível, os vizinhos já se começaram a queixar. A ver se no próximo ano não me esqueço de lhe abrir uma conta no facebook.



Minorca autoconfiante, persegue as ovelhas. Mas elas põem-no no seu lugar. Batem com a pata no chão, e ele põe-se logo em sentido. "Eu?! Faça de conta que nem estou aqui, minha senhora..."




Depois da canoagem, em Ponte de Lima, o Matthias caminha descalço junto ao rio, e ele trota alegremente ao lado.
Às vezes pára, olhando como quem pergunta: "então, não vens?"



Luta contra o sistema de rega automática. A cada um os seus moinhos de vento.





No Alentejo e no Douro saboreia a liberdade dos espaços abertos. Aprende a negociar territórios com os outros. Perde em toda a linha. E que importa? Anda feliz.






Ao entardecer regressamos à praia. Temos vinho branco para brindar ao pôr-do-sol. Ele olha-nos com placidez, a nossa raposa do Saara.






10 comentários:

Paulo disse...

O Fox já tinha visto ovelhas ao vivo?

Gi disse...

Que belas férias, as do Fox. E que lindo ele está. Cumprimentos do Jr.

Helena disse...

Paulo,
não, ainda não. E pela maneira como ele corria atrás delas, e elas corriam a fugir dele, pensei que ainda íamos ver ovelhas ao morto!

Gi,
pois foram belas, foram. Tanta liberdade,tanto espaço! Agora, aqui no apartamento, faz-me pena.
Obrigada pelo elogio. E cumprimentos "para trás", como dizem os alemães.

jj.amarante disse...

Essa foto com a cauda iluminada e os socalcos do Douro ao fundo ficou muito bem. E o nome é muito apropriado, tem orelhas quase de raposa.

Helena disse...

:)

Cristina Torrão disse...

É mesmo uma raposinha ;)

Carla R. disse...

Bonito. Ao que isto chegou, agora estou com inveja da vida de um cão.

Helena disse...

Mas olha que não o deixam entrar na Tendinha! :)

jose disse...

Numa das fotos a sua fera pôs três canzarrões em respeito!Lá se vê ele bem teso,de pé,focinho com focinho,os outros quietinhos quietinhos.Diz-me a mulher:--Olha bem,parece que se estão a rir...A Helena desculpe mas nem sempre a sensibilidade feminina...
jose

Helena disse...

Isso mesmo, José.
Ontem soube que os três agora estão em psicoterapia, porque ficaram muito traumatizados...
;-)