07 agosto 2012

previsão do tempo para hoje em Berlim

21º, céu pouco nublado. Possibilidade de chuvas torrenciais e inundações a meio do dia.

A Christina sai hoje para o seu ano de serviço social. Disseram-me que a viagem de São Paulo para a Bolívia é feita em lamas, mas parece que não. Afinal de contas estamos no séc. XXI, em menos de cinco dias chega lá, via Paraguai e não sei quê, e mais umas 17 horas em autocarro para subir os Andes.
O desgraçado que planeou esta viagem assim que não me apareça pela frente, porque não sei o que seria capaz de lhe fazer.

A gente sabe que tudo isto faz parte, que é a ordem natural das coisas, mas a verdade é que hoje se começa a fechar um ciclo importante da minha vida. É estranho e doloroso. Na nossa construção familiar vai faltar uma parte e em seu lugar, durante este ano, fica uma espécie de buraco negro: denso de saudade.

12 comentários:

gralha disse...

Espero bem que seja mesmo de lama - e que corra tudo bem, de certeza que será uma experiência maravilhosa :)

Helena disse...

De lama com duas malas de mais de vinte quilos, mais a bagagem de mão, mais ela_!
Se a SPA souber desta tua sugestão, Gralha, nem sei o que te vão fazer!^
;-)

Mas sim, pensando bem, uma viagem de autocarro para subir os Andes deve ser uma coisa muito gira.

Cristina Gomes da Silva disse...

Imagina-te no lugar dela, no bem que lhe vai fazer e não deixes que as inundações sigam viagem até aos Andes, anda. :-)Se não foi para isto, diz-me cá para que lhe deste, e ensinaste a usar, asas, hein? Beijinhos de cá

Paulo disse...

A Cristina sabe destas coisas, Helena. Eu estou com ela (e contigo também).

Um beijinho à Christina, que tenha uma boa viagem e óptimas experiências nesta sua aventura.

Como está o New Kid?

jj.amarante disse...

Uma viagem de 5 dias para chegar a um sítio remoto na Bolívia não me parece muito. Não esquecer que não receberam fundos da União Europeia para fazer auto-estradas e o Evo Morales não parece muito virado para as parcerias público-privadas, está mais numa de nacionalizações. Eu, com a minha idade provecta, demorava dois dias a ir do Porto até ao Algarve, às vezes com um dia de intervalo em Lisboa, e gostava bastante da viagem. Essas 17 horas de autocarro é que parecem um bocado demais, ela que faça um dia de descanso para evitar o cansaço, quem demora 5 também pode demorar 6 dias, não faz grande diferença.

Carla R. disse...

A Cristina é uma sortuda !
Soubesse eu antes e tinha-me enfiado dentro de uma dessas malas, com o meu peso levezinho os lamas nem iam notar !
Que sorte ! Que sorte !

Helena disse...

Sim, vocês estão todos cobertos de razão. Isto já me passa. E espero que a Christina tenha uma boa viagem, apesar do exagero da duração.

jj.amarante,
Amigos nossos fizeram essa viagem em 20 horas. E uma miúda que hoje se foi despedir dela e já lá esteve disse que a viagem de 17 horas de autocarro é um disparate. Por 40 euros podem ir de avião, demora meia hora.
(Até me lembrou de quando o meu pai ia de avião do Porto a Cabeceiras de Basto para fazer uma reunião, porque não podia perder o dia inteiro na viagem)

Mas antes de entrarem no autocarro vão poder passar uma noite num hotel. Ao menos isso!

jj.amarante disse...

Possivelmente o seu pai ia de avião porque ja´conhecia o caminho, enquanto a sua filha quererá provavelmente ver o país com mais detalhe, o que não se consegue de avião. Com tanta informação na internet, sobre alternativas de percurso, parece mais uma escolha deliberada.

Helena disse...

O meu pai ia de avião porque não tinha tempo para gastar um dia inteiro na estrada para fazer uma reunião numa cidade que ficava afinal tão próxima se não fossem aquelas intermináveis curvas e contracurvas. Isto era no tempo em que a velocidade média da viagem Porto/Braga andava pelos 30 km/h (nos dias bons).
No caso deles, não sei bem se é para conhecerem o continente palmo a palmo, se é para poupar dinheiro. Mas parece-me má ideia arranjar de eles chegarem estourados ao sítio onde vão trabalhar durante um ano, longe dos amigos e da família.

sem-se-ver disse...

boa sorte! :)

Carla R. disse...

Helena, Helena, não fizeste nunca uma viagem de autocarro ou comboio em situações nada confortáveis quando tinhas 18 anos ? Tenho as minhas viagens a dormir no chão de comboios sobrelotados e a cheirar a vinho no fundo do coração e as melhores das imagens (cheias de energia) dos dias em que finalmente chegávamos ao destino. Quando falo com amigas minhas que me falam de conforto e hoteis de estrelas que frequentavam em tenra idade, nem sabes a pena que sinto delas.

Helena disse...

Fiz, pois! A cada passo: éramos cinco filhos, todos enssardinhados no carro.
;-)

Também tenho a minha dose de viagens giras em condições terríveis. Mas eram sempre coisas que eu própria organizei, e com óptimos amigos. Bem diferente destes cinco dias a dormir pelos aeroportos, num grupo que ainda mal se conhece, e no início de um ano que é uma enorme incógnita para todos.
Tanto mais que também é possível fazer esta viagem em 20 horas.

Mas talvez seja boa ideia fazer assim mesmo, uni-los na desdita e assim...
E a viagem de autocarro deve ser deslumbrante - se eles ainda estiverem com força e ânimo para a gozar.