30 março 2012

o céu é o limite

O céu - que digo eu? A Chave de Ouro da cidade do Porto! - é o limite:

a pessoa que está a rever a minha tradução do livro do Wladimir Kaminer disse que eu sou muito boa em palavrões.

Hehehe.

(Agora só era preciso o Porto eleger um presidente da Câmara de quem me desse gosto receber a Chave de Ouro. É como digo, e a esperança é a última a morrer: o céu é o limite.)

7 comentários:

Mar* disse...

Hehehe.

Mesmo não sendo a Presidenta da Camâra, tenho muito gosto em oferecer-te a Chave de Ouro da cidade quando passares por aqui - bem sei que não é a mesma coisa, mas pronto, até podemos a cerimónia no cimo da Torre dos Clérigos ;)

Helena disse...

O quê, a Chave de Ouro da cidade do Porto recebida das tuas mãos na Torre dos Clérigos?!
Isso é mais que o céu é o limite, isso é um autêntico caso de to infinity and beyooooooond!
:-)

Mar* disse...

Que exagerada ;) (Mas ia ser bonito. Eu levava rissóis e fazíamos a festa!)

sem-se-ver disse...

fartei-me de rir :D

Helena disse...

Rissóis?!
Quando? Quando? Quando?
(e tenho de dizer palavrões como santo-e-senha, ou posso ir à paisana?)

;-)

Mar* disse...

Quando quiseres! ;)
(se fores como eu, aí por volta do 100º degrau já disseste todos os palavrões que conheces, pelo que não há Santo que te valha!)

Helena disse...

Havemos de combinar, Mar* - a sério!
Anoto para as próximas férias: uma ida aos Clérigos, e umas bifanas com o Carlos Azevedo.

Agora, quanto aos palavrões a subir as escadas: tira daí o sentido! que eu sou uma senhora, só cometo palavrões quando me pagam muito...
;-)