24 fevereiro 2012

portugueses em Berlim

Ontem conheci alguns leitores deste blogue.
E é sempre a mesma sensação de vertigem: eles existem, eles são reais, aimêdês, que responsabilidade!
Um dia destes ainda passo a escrever os meus posts debaixo da cama.

***

Foi numa reunião de um grupo chamado Portugueses em Berlim, que junta pessoas com ideias para ajudar, animar e pôr em contacto os portugueses que vivem nesta cidade. A reunião de ontem foi extremamente produtiva: 2012 promete! Nestes momentos, fico sempre surpreendida com a disponibilidade e a generosidade das pessoas. Sendo tão mais fácil ficar em casa à espera que outros façam, estes dão-se ao trabalho de percorrer longas distâncias para virem a reuniões intermináveis de onde sairão comprometidos para muitas horas de trabalho.

Ontem, ao olhar para aquelas caras, vi pelo avesso o meu país sangrado de tantas pessoas inteligentes, flexíveis e dinâmicas.

5 comentários:

tdomingos disse...

Quem corre por prazer (por uma boa causa e com boa companhia) não cansa. As "muitas horas de trabalho" deixam então de ser um fardo.

Concordo totalmente com a tua última frase. Esperemos que haja algum retorno positivo para o país nesta era de alta mobilidade.

Paulo Miguel Cabazo disse...

Realmente, ontem foi a minha primeira reunião e hoje passei o dia a pensar nos projectos e ideias debatidos... Foi realmente muito interessante ver pessoas de todas as idades e profissões juntas a debatir ideias... 5*

Helena disse...

Paulo,
5*, isso mesmo! :-)

Tiny,
Pois é, quando se trabalha por gosto e com boa companhia não cansa.
Olha: o perfil do teu perfil é muito giro. Como é que fizeste isso?

Maria silva ferreira disse...

Vivo e trabalho em Portugal, mas fico contente ao ver que pelo menos no estrangeiro os portugueses são unidos e fazem projetos para o bem estar comum. Nessas reunioes a palavra "saudade" deve adquirir um valor muito mais elevado. Parabéns!

Helena disse...

Maria Silva Ferreira,
não sei o que dirão os outros, mas parece-me que "saudade" não anda muito por ali.
O único que me falou em saudade foi um amigo que foi a uma dessas reuniões, saiu de lá a rir ("já tinha saudades destas confusões dos portugueses...", disse ele), mas nunca mais lá voltou. ;-)