11 fevereiro 2012

overdose de prodígios

Então foi assim: o dia começou com uma visita guiada à Filarmonia. Com tanta sorte que a visita foi feita em português. Com tanta sorte que na sala da música de câmara assistimos a um bocadinho de ensaio de um concerto, com tanta sorte que na sala grande também havia ensaio.
Quando estávamos a almoçar, o Simon Rattle passou por nós, mas não nos incomodou. Nem nós a ele, vá.







A seguir fomos à estreia de um dos filmes concorrentes da Berlinale: Cesare deve morire. Para o meu gosto tinha demasiado Shakespeare e pouca história dos prisioneiros que o representavam. Só quando o filme chegou ao fim é que me dei conta que a peça foi realmente representada por prisioneiros. O momento mais divertido foi quando os irmãos Taviani começaram a apresentar a equipa: "a música foi feita pelo meu filho", "a montagem por acaso foi feita pelo meu cunhado", "a produtora até há pouco tempo era nossa cunhada, mas depois houve um divórcio". Hehehehe.
O momento mais comovente foi quando o ex-prisioneiro que tivera o papel de Brutus entrou no palco, e com grande emoção falou do actor à sua esquerda, dizendo "este homem salvou-me a vida".





Depois do filme queríamos ir ver a Biblioteca ao lado do Palácio da Berlinale, onde Wim Wenders filmou algumas cenas de As Asas do Desejo. O guichet de informação já estava fechado, pelo que perguntei à porteira se podíamos entrar. Que não, que não tínhamos cartão da biblioteca, que já estava quase a fechar. "Não?! Nem para pessoas que adoram cinema, só cinco minutinhos?", perguntei eu. "Olhe", disse ela com um grande sorriso, "vá a correr deixar ali os casacos e despache-se, que daqui a vinte minutos fechamos". E lá fomos nós a correr, desvairados por aquele edifício enorme acima, um bocado perdidos. Até que - cinco minutos antes de fechar - uma funcionária veio ter connosco e nos disse que tinha visto o filme há pouco só para saber exactamente onde tinha sido filmado, e nos indicou os caminhos e as cenas. E ainda dizem que os alemães são antipáticos...




E se pensam que os prodígios já acabaram, estão muito bem enganados. Ó práqui:
(se não têm tempo para ver o filme todo, podem saltar para os últimos trinta segundos)
(confesso que três horas mais tarde ainda estamos de sorriso escancarado)

5 comentários:

Paulo disse...

E um dia depois também :o)

Gi disse...

Que putos malucos que vocês são! :-D
(Continuem, continuem...)

Helena disse...

Gi,
Somos, somos! E continuamos, pois. Hoje só não vamos fazer uma espera à Meryl Streep porque temos outro programa para essa hora. Esta cidade é impressionante de coisas boas.
E acabei de saber: no próximo domingo o coro Bach vai cantar cantatas de Bach na tal igreja do Karajan - de graça, porque é a acompanhar o serviço dominical. Achas que peça ao Paulo para se sentar antes de lhe dar esta notícia?

Gi disse...

Hehe acho que és capaz de conseguir levar o Paulo à missa ;-)

Rita Maria disse...

Gosto muito da terceira fotografia!