01 fevereiro 2012

de noite também é bonito


Comer fondue de queijo em frente a esta janela, e beber Alvarinho quase como se quisesse esquecer alguma coisa.


Bem no centro de Samedan descobriram aguas termais. Fizeram umas termas com spa em andares. Criatividade e boa arquitectura, na praca principal, no meio de casas quinhentistas. Nao choca nada.






Na aldeia vizinha, Pontresina, ha tambem aguas termais e uma piscina de agua agradavelmente quente no meio da neve.

7 comentários:

Interessada disse...

"Comer fondue de queijo em frente a esta janela, e beber Alvarinho quase como se quisesse esquecer alguma coisa."

Agradeço-lhe mais esta partilha, mas fiquei a pensar se aquilo que queremos esquecer não será que estão a morrer dezenas de pessoas,pela Europa, devido às baixas temperaturas.
Boas férias.

Helena disse...

Olá Interessada,
por acaso no momento em que escrevi isto näo sabia ainda da onda de frio que estava a atingir a Europa.
Mas mesmo que soubesse: o mundo está cheio de desgracas horríveis. Se eu tiver de beber para as esquecer, näo há vinho de chegue. Penso que näo é por aí.
Depois vi no noticiário os voluntários dos abrigos para pessoas que moram na rua, no limite das suas forc,as, para conseguir ajudar todos os que neste momento precisam deles.
Parece-me mais positivo: em vez de sentir culpa, fazer alguma coisa. E comecar por uma ponta, tratar desse bocadinho de mundo que está ao nosso alcance. Näo podemos acudir a tudo. Aqueles trataräo das pessoas sem abrigo, outros trataräo das pessoas que morrem nas ruas de calcutá, outros tratam dos meninos da rua de Säo Paulo, etc.
Eu vou ajudando aqui e ali e, para ser franca, até me esqueco do que tenho feito - mas de momento estou de férias, e gozo-as.

Helena disse...

Quase ia esquecendo de explicar: eu digo muitas vezes "beber para esquecer", mas é piada lá de casa. É o "beber para esquecer" e o "este vinho evapora depressa". Nem tenho nada para esquecer, nem bebo tanto como isso. Aquela garrafa de Alvarinho, por exemplo, deu para dois bons jantares.
Escrevi este post à pressa, e o resultado foi induzir os leitores em erro. De futuro pensarei mais antes de escrever a primeira piadinha caseira que me ocorre.

cjs disse...

Isso é que não, por favor! Deixares de ser expontânea? Não acredito que seja isso que queremos (pois não, leitores?).

E quanto às desgraças, tens toda a razão: normalmente, há os que falam e há os que fazem. Foi assim que o país chegou onde chegou.

Bom regresso amanhã.

Helena disse...

Ola cjs, que bom ver te por aqui!
OK, combinado: continuo a escrever sem pensar, fiel a uma velha tradicao minha...
;)
Ate breve!

Interessada disse...

Helena

Que bom não ter que esquecer!
E que falta de sintonia. Eu interpretei-a mal, mas o mesmo aconteceu com a Helena, em relação ao que escrevi, que nada tinha a ver com sentimentos de culpa, mas antes com associação de ideias.
Goze bem as férias.

Helena disse...

Olá Interessada,
parece que estávamos mesmo com as agulhas trocadas!
As férias já acabaram, mas o frio, esse...
brrrr