15 agosto 2011

13.08.1961 - 13.08.2011 (13)

O centro de documentação tem uma torre com miradouro que permite ver a o segmento da faixa da morte que não foi destruído. Imagino que tenha sido um desafio para os arquitectos: uma torre de vigia para observar outra torre de vigia...




Olhando para a área ocupada pelo memorial, sinto uma grande admiração pela cidade de Berlim, que se dá ao luxo de "desperdiçar" tanto terreno que poderia render inúmeros milhões se fosse vendido para construção. 


Nesta fotografia pode ver-se bem um detalhe da perfeição do sistema: na faixa da morte a terra era arada frequentemente, de modo a que as pegadas dos fugitivos ficassem marcadas.

2 comentários:

Teresa disse...

Tenho acompanhado fascinada todos os posts sobre esta data tão especial. Para ti calculo que tenha um significado pessoal acrescido, por ter sido justamente dias antes da queda do muro que foste viver para a Alemanha, não é?

Nessa altura, em 1989, eu trabalhava num jornal, referi de passagem na Gota como foi cá essa noite memorável:
http://gotaderantanplan.blogspot.com/2007/05/jornalista-acidental.html

Helena disse...

Sim, Teresa, vim para cá morar três dias antes da queda do muro. E nasci apenas dois anos depois da sua construção.
Vou já ler!