26 março 2011

e depois do céu, qual será o próximo limite?

O meu nome já chegou às ondas hertzianas!
Podem ouvir aqui, e: hehehe.

***

"Quem se lembraria do Keynes?", pergunta ela, lá para o meio da entrevista.
"Porque é que mais ninguém se lembrou do Keynes, heinhe?", retruco eu com uma piscadela de olho para os meus botões.

(porque será que os portugueses dizem "kaines"? o resultado é eu depois aflitinha por este mundo fora sem saber em que língua devo pronunciar esse nome)  (e porque hoje é sábado e eu estou boa pessoa, para quem não sabe aqui vai um truque: se não souberem como pronunciar uma palavra, escrevam-na no tradutor do google, escolham a língua em que a querem pronunciar, e carreguem no megafonezinho que está por baixo da caixa) (programa óptimo para uma tarde de chuva: escrever uma palavra qualquer, por exemplo "Weltanschauung" e ver como é que os franceses ou os chineses a pronunciam, hihihi, "Freud" em brasileirês fica muito giro, "freudchi") (ó Heleninha, os parêntesis estavam outra vez a preço de pague um leve a família toda?)

"Encontram-se aqui coisas que não são para rir...", comenta ela.
"E de que maneira!", lamento-me eu para os meus tristonhos botões. É o que dá fazer gracinhas sobre macroeconomia em pleno delírio do TGV, e o livro ser publicado no tempo dos pesadelos PEC.

***

Triste vida de emigrante: na próxima segunda-feira fazem mais uma festa sem mim.  Desta vez na Figueira da Foz, um bocadinho à desamão de Berlim.
Quem morar mais perto e quiser, é assim:

10 comentários:

io disse...

o teu conto é excepcional! Ainda bem que ela se lembrou do Kaines, carago! e ainda mal que o editor não enalteceu o "pendor" literário e humorístico do teu conto que é um dos melhores que por ali se encontram nos 11.

(que curioso a palavrinha é extronsi)

Helena disse...

:-)

e depois do céu, e depois de ter a io como "relações públicas", qual é o próximo limite?

Paulo disse...

É agora, que já és uma mulher célebre, dares-me um autógrafo.

Helena disse...

E depois do céu, de ter a io a relações públicas, e ter um autógrafo meu na casa do Paulo, qual é o limite?

Até me lembra aquela velhinha que sempre teve uma vida muito santa, e que quando morreu começou a subir vertiginosamente em direcção ao céu, e quando lá chegou continuou a subir e o São Pedro gritou-lhe "diz depressa um palavrão senão entras em órbita!"

António P. disse...

Francamente , Helena...agora na Figueira da Foz e logo num Casino :)) como quer que um pobre alentejano adoptivo lá se desloque ?
E se lá conseguisse chegar perida o dinheiro todo nas slots e não podia comprara o livro :)
Tem que pensar num lançamento no Alentejo. Até pode ser cá em casa :).
Pense e diga qualquer coisa.
Bom fim de semana

Helena disse...

E depois do céu, de ter a io a relações públicas, de ter um autógrafo meu na casa do Paulo e de ter um convite do António P. para fazer uma dessas festas sem mim na sua famosa casa, qual é o limite?

Obrigada, António, vou passar essa simpática sugestão ao pessoal. Podem levar fatos de banho? ;-)

Teresa disse...

Ó querida, tu desculpa, não consigo ouvir, o meu pc está a morrer. Conseguir aceder a esta caixa de comentários já foi uma proeza.

A questão da pronúncia é espinhosa, dou-te um exemplo. O amigo que me apresentou esse génio que é Stephen Sondheim era um nabo em inglês. Chamava-lhe Stéfen Dondheim. Foi preciso comprar o primeiro disco de uma obra dele (A Little Night Music, amor para o resto da vida) para perceber, vendo o nome escrito, que a pronúncia só podia ser Steven.

P.S. Também quero um autógrafo no livro!!!

Helena disse...

E depois do céu, de ter a io a relações públicas, de ter um autógrafo meu na casa do Paulo, de ter um convite do António P. para fazer uma dessas festas sem mim na sua famosa casa, e de ter um autógrafo meu na casa da Teresa, encontrei o limite: o computador da Teresa!
Sim, que aquilo é coisa fina, só por lá passa do bom e do melhor.
Sniff, sniff, pois tratarei de me esforçar mais para merecer tal honra.

António P. disse...

Bom dia Helena,
Se for no Verão claro que podem trazer fatos de banho.
Sempre às ordens.
Um bom domingo do senhor, como diria a mdsol

Helena disse...

Obrigada! Para si também.
Hoje o domingo está a correr muito mal à Merkel. Perdeu duas Länder.