12 abril 2016

"segredo"

A palavra do dia, na melhor enciclopédia que conheço, é "segredo".


Já alguém sabe ao certo qual é o terceiro segredo de Fátima?
Eu, nem o segundo sei. Fiquei-me pelo primeiro: a Rússia vai espalhar os seus males pelo mundo, mas depois, se rezarmos todos o rosário, acabará por se converter.
A propósito, há dias estive num jantar com um dos últimos fãs do partido único da RDA. Se bem entendi, saiu do SED em 1992. O que é um bocado difícil, porque o SED deixou de ser SED em 1990, mas adiante. Estou a ver que lá terei de revelar o segredo que queria guardar: aquilo não era um jantar, era uma "wine-battle". Cada pessoa traz uma garrafa de vinho, provam-se todos sem ver as etiquetas, e decide-se qual é o vencedor; o perdedor, esse, está definido à partida: sou eu, que ao fim do terceiro vinho provado perco um bocadinho a compostura. A conversa sobre o comunismo apareceu já na penúltima garrafa, de modo que pode muito bem ter acontecido de eu ter confundido datas. Mas a ideia principal, e era o que eu queria contar aqui, é que em 2016 encontrei numa casa na antiga Berlim-Leste, num grupo de russos e de alemães dos dois lados da cortina de ferro, uma pessoa da antiga RDA que ainda sonhava com o comunismo que há-de vir. Os da RFA ouviam caladinhos, os da RDA e da Rússia caíram-lhe em cima: se nem na RDA, que era o Rolls-Royce do comunismo, funcionou, como há-de funcionar algum dia? Se foi experimentado em cada segundo país do mundo e não funcionou, o que o leva a pensar que no futuro funcionaria?
Ele insistia, teimoso. Agora sabemos o que falhou, sabemos como evitar erros.
Quer-me parecer que alguém não rezou o rosário como deve ser e como a Nossa Senhora pediu: ainda falta converter um resistente...
(Tivemos de sair nessa altura, e foi pena. Gostava muito de ter continuado a ouvir esse debate entre amigos com experiências tão próximas e conclusões tão diferentes.)


2 comentários:

Francisco Pereira disse...

Cara Helena.
A primeira parte foi a visão do inferno.
A segunda parte foi a necessidade da consagração da Rússia ao Imaculado Coração de Maria. Na altura das aparições já estava em curso o processo que iria culminar na revolução bolchevique em novembro de 1917.
A terceira parte é o martírio da Igreja Católica no séc XX: o número incontável de cristãos que deram a sua vida ao serviço dos outros e morreram pela fé.

Helena Araújo disse...

Muito obrigada, Francisco Pereira.