04 fevereiro 2016

subway stories: tales from the underground

(foto)


No metro berlinense, a minha filha costuma meter conversa, ou pelo menos trocar sorrisos, com os refugiados que encontra. Um olhar de empatia para a mãe que não consegue acalmar o bebé, a oferta de mudar de lugar para todos os membros da família ficarem no mesmo banco, coisas simples.

Alguns tentam comunicar em alemão, e pedem desculpa por não falarem bem. Ela põe-nos à vontade:
- Oh, não se preocupem! A minha mãe está cá há um quarto de século, e também continua a ter problemas com o idioma.
Eles ficam muito aliviados.

Há dias decidiu ajudar um homem que ia no metro a aprender alemão numa lista de vocábulos em árabe e alemão. Sentada ao seu lado, a Christina ensinava-lhe a pronúncia. Às tantas ele chegou à palavra مول, leu

 E I N K A U F S Z E N T R U M 

e suspirou, chocado e desanimado:
- Oh, nooooooo! Really?!!!!

Pobres refugiados. Como se não bastasse a guerra, a travessia do Mediterrâneo, a rota dos Balcãs, a insegurança e a falta de perspectivas, ainda têm de aprender alemão...



4 comentários:

jj.amarante disse...

Então Kaufhof é literalmente tribunal de compras? E precisam de dizer que o centro de compras do EinKaufsZentrum é um (ein)? Quando existem dois shoppings lado a lado dizem "ZweiKaufsZentrum"?

Helena disse...


Hof é "corte", ou "pátio", ou "espaço delimitado".
A estação de caminho de ferro é o hof dos comboios, o shopping é o hof de compras.
E quando há três shoppings lado a lado é um Dreikaufszentrum. Acima desse número, acho que se chama Portugal... ;)

jj.amarante disse...

Devia ter visto a tradução de "hof" para inglês, em vez de para português no Google tradutor, onde apenas constava a palavra "tribunal". Agora adicionei lá "pátio" e "espaço delimitado".

Nuno (@gmail) disse...

Em alemão chega-se ao paradoxo de uma mercearia (Lebensmiddelgeschäft) ser maior que um centro comercial :-)