11 junho 2014

da minha vida vê-se um lago




Quatro vezes por dia vou até ao lago com o Fox. Já temos o nosso percurso habitual, o que significa que, para ele, tudo se tornou banal. Para mim, não. Há sempre algo novo a descobrir no passeio: a água que se oferece em brilhos de luz por trás das árvores, a tartaruga pousada ao sol num tronco, a mãe galeirão (a galeiroa?) atarefada num ninho entre os juncos, os seus filhinhos recém-nascidos a nadar alegremente por ali, os nenúfares de flores abertas, o aroma do jasmim, as libelinhas. A bicharada, a água, o verde - quase me imagino de regresso a Rurrenabaque (mas sem os golfinhos de água doce) (nem os crocodilos). Às vezes encontro pescadores sentados em botes, e pasmo com o idílio pitoresco no centro de Berlim. Também há homens que têm consigo sacos, ou um carrinho de compras, e me fazem suspeitar que serão pessoas sem abrigo a tentar disfarçar a sua condição. Há namorados, claro, e pessoas a passear os seus cães, que isto não é tudo só do Fox.

Depois de um dia a esvaziar caixas, vestimos os fatos de banho e vamos de chinelos de dedo e toalha pelos ombros dar um mergulho no lago. Entramos pelo lado dos nenúfares, o que fica mais perto da nossa casa, e é como se tivéssemos férias ao fim do dia, todos os dias. Férias numa espécie de paraíso.

Não sei porquê tenho-me lembrado de um post que andou pela internet há mais de dez anos. Algum brasileiro que foi para o Canadá, e escreveu a contar maravilhas sobre a neve e a paisagem. Na mensagem seguinte descrevia deslumbrado os veados que via da janela da sua casa. Uns dias depois a neve era apenas bonita, e os veados davam-lhe cabo do jardim. Daí a nada já dizia palavrões sobre a porcaria da neve que tinha de limpar, os veados, o inverno, tudo.

A ver vamos. Por enquanto, vou passear com o Fox quatro vezes por dia até ao lago, e ambos gostamos muito.


5 comentários:

Maria de Jesus Lourinho disse...

Tanta sorte e felicidade até dá medo. Certo?

Gi disse...

Lembro-me bem desse email do estudante. Mas o teu caso é diferente, as limpezas e as chatices vêm primeiro, depois vai ficar tudo bem.
E até consegues ver os veados e o verde no meio das chatices e das limpezas, não é?
Coragem. Vai mesmo acabar bem.

Gi disse...

E a temperatura do lago?

Helena disse...

Gi,
veados ainda näo vi, mas os vizinhos viram umas raposas bebé a brincar no jardim da frente. E isto no centro de Berlim!
A água do lago é muito agradável. É como entrar numa piscina.

txticulos disse...

Eu conhecia era a do argentino em Toronto http://www.youtube.com/watch?v=R6zzbxq7ezI