07 novembro 2013

"o Humphrey Bogart da filosofia"


Albert Camus faria hoje cem anos se tivesse apanhado o comboio para o qual até já tinha comprado bilhete, em vez de aceitar aquela boleia fatídica que o levou aos 46 anos. Bem sei que se não fosse com este "se" teria ido com outro, mas este veio particularmente cedo.
Há pouco ouvi na rádio chamarem-lhe o Humphrey Bogart da filosofia. Depois fizeram umas citações, contaram umas historietas e tal, mas essa parte deixo aos jornais e a quem sabe. Eu fico-me pelo fait divers: Humphrey Bogart, hihihi.

(O jornal Die Welt tem hoje uma entrevista com a filha dele. Deixo aqui o link, mas - desculpem! - não traduzo)

3 comentários:

Carla R. disse...

Era giro todos os dias, era, era, principalmente quando escreveu o estrangeiro e me deu cabo do meu final de adolescência.
Enfim...
Mas teremos sempre (o Michel Onfray em) Paris.

Rui Bebiano disse...

Desculpa, Helena, mas a ideia não é nada original: http://aterceiranoite.org/2013/09/27/solidao-e-felicidade-em-camus/

Helena disse...

Oooops! Fui apanhada em flagrante de não ter lido o Terceira Noite!
;-)

Obrigada pelo apontamento, Rui.
E agora vou ler o Terceira Noite do princípio ao fim, de castigo. Melhor dizendo: de prémio.