12 abril 2013

e cá vamos nós de novo...

Ainda o Poiares Maduro não começou a aquecer a cadeira, quanto mais a mostrar serviço, e já tem as redes sociais e os blogues  a ridicularizar e a pegar por todas as pontas possíveis e sobretudo imaginárias, chegando a insinuar que quem larga uma carreira brilhante para se vir meter neste governo lá terá os seus motivos, e não serão os melhores.

Não conheço o Poiares Maduro. Mas conheço de há muito, e com cada vez mais asco, estes movimentos de dúvida metódica e escárnio generalizado que arrasam tudo à sua passagem.

Não é só o Passos Coelho que anda a destruir o país. Há por aí muita gente que também gosta de dar o seu contributo para o mesmo fim - embora lhe dê outros nomes, claro, claro.

7 comentários:

rosaamarela disse...

É ISSO MESMO !!!

bfds

Textículos disse...

Como alguém escreveu

"Se o novo ministro é do partido, dizer que é um boy.

Se o novo ministro não é do partido, dizer que não tem experiência política.

Se o novo ministro é um académico, dizer que é um teórico.

Se o novo ministro é um homem de acção, dizer que não tem qualificações para o cargo.

Se o novo ministro vai trabalhar fora da sua área, dizer que é um erro de casting.

Se o novo ministro vai trabalhar na sua área, referir que tem conflito de interesses.

Se o novo ministro é jovem, dizer que não tem experiência.

Se o novo ministro é velho, dizer que não há renovação da classe política.

Se o novo ministro nunca trabalhou fora de Portugal, dizer que não tem experiência internacional.

Se o novo ministro trabalhou fora de Portugal, dizer que é um estrangeirado que não compreende o país.

Se o novo ministro vem do próprio governo, dizer que não há renovação do governo.

Se o novo ministro vem de fora do governo, dizer que levará demasiado tempo a estudar os dossiers."

Helena disse...

oooh, não sabia que isto tinha cartilha e tudo!
;-)

Interessada disse...

Eu acho natural que as pessoas ganhem expectativas consoante várias coisas.
Confesso que há pouco olhei para a televisão, quando do noticiário, e francamente assustei-me com eles.
Embora não os tenha visto bem, achei-os todos com muito mau aspecto: desgrenhados e desmazelados.
Talvez até estejam muito na moda, não sei.
O facto é que me causaram de imediato uma má impressão,pensando nos cargos que íam ocupar. - com razão ou sem ela.
Sou preconceituosa? Talvez, mas todos sabemos o quanto a imagem é importante.

Helena disse...

Interessada,
não vi essas imagens, por isso não posso comentar.
Essa da imagem lembra-me o Joschka Fischer depois de ter entrado para o governo (via coligação): o político que vinha de um partido de gente muito descontraída, de camisolas tricotadas à mão e coisas assim, e que andava sempre de sapatilhas, mal se transforma em ministro dos negócios estrangeiros aparece de sapatos de pele e fato e gravata e colete e tudo. Uma grande surpresa.

António P. disse...

Boa tarde Helena,
Pois, mas há uns que destruem mais que outors.
Não sei se será o caso do Poiares Maduro, estou consigo há que esperar para ver.
Mas Gaspar/Passos/Portas já são os campeões da destruição e quem vier a sehuir, seja lá quem for, vai ter muitas dificuldades em juntar os cacos todos.
Um boa semana aí por Berlim.

Helena disse...

António,
alguns destroem muito mais que outros - não há dúvida.
Mas se quem devia fazer bem faz horrível, mais cuidado temos nós de ter, para isto não cair ainda mais no atoleiro. Fazer insinuações sobre o carácter das pessoas, só por fazer, só porque entraram agora para este governo, é errado.