28 dezembro 2012

mais um caso de plágio

A Casa das Belas Adormecidas, lembram-se?, a história de um homem que passa as suas noites ao lado de uma virgem, a pensar na vida, e que assim e que assado, e porque não?, etc.

Neste Natal (com uns anitos de atraso, reconheço) ocorreu-me a evidência: é o São José! 
A história está escrita há dois mil anos. Ai o malandro do Kawabata...

(Depois hei-de ir verificar: será que Terra de Neve é uma outra maneira de dizer Betânia?)

2 comentários:

Pedro disse...

Sobre os plágios não me vou pronunciar, que sou uma pessoa que não se pode enervar e eu enervo-me muito (com os nervos). Mas do Kawabata li o Kyoto e achei a coisa mais secante que li até hoje. Páginas inteiras de descrição das cerejeiras em flor, eu a julgar que o Manuel de Oliveira estava a meu lado, mas afinal nada acontecia. Tive pouca sorte com este título, ou tudo o resto é mais ou menos assim?

Helena disse...

Eu só li o A Casa das Belas Adormecidas, e foi há mais de vinte anos. Não o achei secante, mas já não me lembro de quase nada. Não tinha, de certeza, páginas inteiras de descrições de cerejeiras em flor.
Estou a pensar voltar a ele, lendo-o com os olhos de José. Deve ser uma abordagem interessante.