08 junho 2012

querido diário



Hoje trabalhei numa oficina de poesia, a fazer uma animação para um poema.


Fascinou-me ver como pessoas que antes não se conheciam desataram a interagir de forma tão criativa e positiva. Este foi o resultado:





Ao fim da tarde, no caminho para casa, um rafeiro de pernas curtas trotava alegremente sobre ilhas de luz no passeio, e no céu as nuvens fizeram-se grandiosas como em Canyon de Chelly.

Ah, o poder transformador da poesia!

Poesiefestival Berlin 2012 017a

Poesiefestival Berlin 2012 013a


Poesiefestival Berlin 2012 019a

2 comentários:

Paulo disse...

O resultado foi muito bonito.
"Meine Heimat ist mir fremd."

Helena disse...

Obrigada, Paulo.
Deu-me mesmo muito prazer trabalhar neste projecto.
Reparei agora num pormenor curioso: por volta de 1:22 as fotografias de estrada no cenário mexem-se. Fui eu, hehehe!
Vi que já estavam a fotografar o voo dos pássaros verdes, mas não tinham colado as fotos, e sugeri que o fizessemos, porque ao mexer os pássaros com certeza tocaríamos as fotos e elas mudariam de lugar. De modo que há um momento em que elas dão um saltinho, porque a gente não as colou exactamente no mesmo sítio.
Agora que penso nisso, tinha sido giro deixá-las soltas e deixar que os pássaros alterassem o cenário à medida que o atravessavam.
Cuidado comigo, parece que lhe tomei o gosto!