30 março 2012

para quem diz que nunca se inventa nada de novo, ó aqui:

(Aaaaah, é sexta-feira!)



11 comentários:

sem-se-ver disse...

tá fabulástico, vou roubar!

Helena disse...

bela introdução a uma aula sobre história da arte, não achas?
(rouba à vontade, não fazes mais do que eu fiz)

Mar* disse...

Muito bom!

Eu também já roubei para partilhar no FB e enviar para a minha mãe, ela vai adorar ;)

RCF disse...

Muito "ilustrativo". Só lá falta o Duchamp e o concetualismo.LOL

Helena disse...

RCF,
(eu a abrir um sorriso entre o amarelo e o atrevido)

e se fizesse essas variações para nós nos deliciarmos?

Mar*,
estas coisas são mesmo para roubar, partilhar e saborear.

sem-se-ver disse...

ando é tontinha a tentar encontrar a imagem original (esta não tem grande definição) para poder projectar em melhores condições.

sim, é bestial, lá pro inicio de maio começo com a estética. irá fazer parte, claro.

Interessada disse...

MB e giro.

*RCF Duchamp está no Dadaísmo ;)

RCF disse...

Interessada,

é verdade que andou por lá, mas foi no concetualismo que teve os seus maiores frutos.

RCF disse...

Helena,

penso que o Duchamp se limitava a expor um mata moscas.

Um verdadeiro concetualista escrevia a palavra mata moscas e deixava o espetador a observar uma mosca invisível.

Helena disse...

O que eu aprendo nas minhas caixas de comentários é impressionante!

RFC, Interessada: continuem, e obrigada!

Rosário disse...

que giro! vou mandar à minha sobrinha que está em arq.