16 março 2012

encontro em português (2)

Resumindo:
- pastéis de nata:                                         mnham mnham
- pastéis de salmão:                                     mnham mnham
- creme de atum:                                         mnham mnham
- pumpernickel com salmão fumado e ovo:  mnham mnham
- tarte flambée ainda quentinha:                   mnham mnham
- bola de presunto ainda quentinha:              mnham mnahm

- vinho da Madeira:                                     mnham  
(estava muito bom, eu é que provei pouquinho, por causa do altruísmo e assim)

- conversa: mmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm
(estava muito boa, mas a volta das apresentações começou às oito, e às onze ainda não tinha chegado a minha vez, e não era por sermos muitos, era mais por sermos muito faladores. Fiquei a saber a diferença entre o Pavaroti e o Bocelli - a diferença é um chocadíssimo aaaaaaaaaah inesquecível de uma cantora lírica que lá estava, "- és cantora de ópera?", "- não *suspiro*, sou cantora lírica", quase decidi que quando for grande vou estudar história da matemática, gostei de saber que em Portugal até para fazer trabalho de voluntariado é preciso meter cunhas, hehehehe, aprendi uns truques para beneficiar do sistema de segurança social alemão em todo o seu esplendor (legalmente, claro, estão a pensar o quê?), e fiquei a saber um pouco mais sobre a vida dos emigrantes portugueses em Berlim: todos iguais, todos diferentes)

Desconfio que esta manhã umas dez pessoas virão a este blogue com o coração nas mãos, "ai que será que ela vai escrever sobre nós?", mas não digo mais que isto, sobretudo porque não acertámos muito bem o budget da chantagem, e eu não quero estourar todos os foguetes ainda antes de marcar a data da festa. E há praí umas cinquenta que virão cá para saber o que aconteceu e foi falado lá, e também para essas não digo nada, tivessem ido, homessa (homeça? homeça? omeça? o acordo ortográfico falha-me sempre quando é realmente importante).
 

9 comentários:

Titanices disse...

Então e os rissóis? Ninguém levou?

Helena disse...

Pois não, ninguém levou. Depois queixam-se que Portugal está como está: ninguém se encarrega de assegurar o indispensável!!!
;-)

Gi disse...

Hehe, tu também dizes homessa!

Há termos assim, queirosianos, que às vezes julgo que já só eu uso.
Irra, também dizes?

Paulo disse...

Bolinhos de bacalhau parece que também ninguém levou. Tss tsss.
Mas vá, pelo menos havia natas.

Helena disse...

Mas eram natas feitas à mão! Quase desculparam a falta do resto.
:-)

Helena disse...

Gi,
eu "irra" não digo, mas quando calha escrevo.
Também não digo "homessa".
É engraçado que há palavras que só uso para escrever. Se calhar são todas queirosianas?

Anónimo disse...

Pastéis de nata feitinhos à mão pela cantora lírica!!! Bizarro... Pavaroti e Bocelli :D ainda me estou a rir!

Helena disse...

Anónimo,
porque diz que é bizarro?

Anónimo disse...

Helena,

toda a gente sabe que as cantoras líricas sao umas divas. Nao se metem na cozinha a fazer pastéis :)

Ass. a cantora lírica :D