14 maio 2011

o que mora em mim

Entre o nascimento da Christina e o do Matthias andei a tocar o Children's Corner de Debussy. Um livro cheio de belas peças, e uma dedicatória encantadora: "„A ma chère petite Chouchou, avec les tendres excuses de son Père pour ce qui va suivre“

Comecei com o Little Shepherd, peça de grande leveza meditativa:



Segui para Doctor Gradus ad Parnassum, que gostava de inventar um pouco mais lenta que neste vídeo, imaginando pequeninas cascatas de água. Não tocava muito bem, uma amiga chegou a rir-se ("o que conta é a intenção"), mas gostava muito de a fazer brotar do piano, sempre nova.



Porque me lembro hoje disso? Porque o Matthias começou agora "Page d'Album", o meu primeiro Debussy. É estranho quando os filhos nos seguem as pisadas e depois nos ultrapassam.
Um dia destes recomeço. Nunca tocarei muito bem, e nem é esse o objectivo: basta-me sair em passeio por mim própria, ao som de cascatas de água - mesmo se trôpegas - que nascem dos meus dedos.

4 comentários:

Paulo disse...

Vai preparando umas peças a quatro mãos com o Matthias, boa? Qualquer dia vou a Berlim.

Helena disse...

Paulo: tocar piano para ti é assim a modos que the ultimate challenge: se depois disso continuarmos amigos, é amizade para a vida toda!
(Fico contente por saber que vens a Berlim. Vou já arejar os lençóis de linho fino, e assim)

sem-se-ver disse...

um ramalhete de :)))

Helena disse...

E mais outro, aqui deste lado. Sorrisos da Europa: uni-vos!