24 julho 2016

filho de um casal alemão e iraniano

Esta manhã, ao sermos informados que o atacante de Munique era filho de um casal iraniano e alemão pensámos imediatamente em conhecidos nossos, ele alemão, ela iraniana.
Casal de médicos, que se mudou do sul da Alemanha, onde a iraniana trabalhava na área de emergência médica, para uma cidade na região da antiga Alemanha de Leste. Contava-me que quando ia com o filho para um parque infantil era insultada pelas outras crianças, que lhe diziam que aquele espaço não era para turcos, e que ela devia voltar para a terra dela. Justamente a ela, que já tinha salvado tantas vidas na Alemanha!, dizia-me, furiosa.

O que se passará, o que crescerá no coração de uma criança que vê a sua mãe a ser assim sistematicamente desrespeitada e humilhada?


4 comentários:

jj.amarante disse...

Tenho a impressão que existe mais xenofobia na ex-Alemanha de Leste do que na Alemanha Ocidental. Essa impressão é real? Dizer que isso se deve a terem tido menos oportunidades de viajar por esse mundo fora será um grande disparate? Ou já antes da separação havia grandes diferenças entre o Leste e o Oeste alemão?

Helena Araújo disse...

Também me parece que sim.
Provavelmente tem a ver com o facto de não ter havido muitos estrangeiros na RDA, e os que havia eram considerados privilegiados, por virem de países amigos como Angola, Moçambique, Vietname.
Além disso, a RFA teve de se defrontar com a sua História, e fez o trabalho de caso. A RDA não teve de fazer nada disso, porque, por definição, os seus habitantes eram os alemães melhores do país, o homem novo que ia construir um amanhã socialista etc.
Para complicar, houve muitos nazis que fugiram para a RDA, porque sabiam que lá não iam ser chateados.

luís palma de jesus disse...

Não foi extremismo ou fundamentalismo religioso. A descrição remete para um islamismo moderado.

jj.amarante disse...

Quanto ao racismo o Miguel de Unamuno concorda connosco:
http://www.efemeridespedrobeltran.com/es/eventos/septiembre/unamuno.-frase-fascismo-y-racismo.-hoy-29-de-septiembre-de-1864-nace-miguel-de-unamuno