21 abril 2015

a vida continua



A penúltima coisa de que me lembro, na Costa Rica, foi nós sentados no Bread & Chocolate, em Puerto Viejo, a comer uns brownies prodigiosos. A última coisa de que me lembro foi do ar de maturidade do Matthias a aturar a sua mãe chorosa. Bem, antes disso também houve um momento muito engraçado, quando ele anunciou "pai, tenho uma notícia trágica para ti!" e eu disse, sobressaltada, "o que é que aconteceu ao Bayern?", e era isso mesmo - o Matthias decidiu que já não quer ser adepto do Bayern. Uma notícia trágica para o Joachim, ficaram horas a falar sobre essa decisão. E depois dizem que as mulheres é que são difíceis de entender...

Levantámo-nos às três e meia da madrugada para ir apanhar o avião, e 22 horas mais tarde eram oito da manhã no aeroporto de Tegel. De momento não faço a menor ideia das horas que são dentro de mim.

Depois de uma soneca o Joachim foi buscar o Fox e eu fui passeá-lo. A Primavera tem andado pelo nosso lago, eu é que não tiro fotos, porque estas duas semanas na Costa Rica desencantaram-me a paisagem quotidiana. Ao fim da tarde o Joachim foi pintar e antes disso esteve a ver a nova exposição colectiva onde tem alguns quadros, eu fui ao ensaio do coro para a nova ópera do Jonathan Dove. Os primeiros cantores começaram a chegar 45 minutos antes da hora marcada, e muito antes do que estava previsto já estávamos todos prontos, de autocolante com nome ao peito e lista de presença assinada. O ambiente é bem-disposto e leve, mas de trabalho concentradíssimo - até os exercícios de aquecimento da voz são exigentes e exactos (é a Filarmonia, stupid). Durante o intervalo encontrei amigos que iam ao concerto desse dia, rimos um bocadinho e despachámo-nos para não chegar atrasados. No regresso para casa fui ao supermercado, e como não tinha saco meti tudo numa caixa de cartão. Na estação de metro dirigi-me a um dos funcionários para lhe fazer uma pergunta, e levava a caixa e as compras debaixo do braço. Ele começou a olhar para as bananas com ar de cobiça, dei-lhe uma. Aceitou, rindo aquele riso de quem sabe que abusou um pouco mas não se importa muito.
É: estou outra vez em Berlim.


9 comentários:

Calita Fonseca disse...

Gosto cada vez mais do teu Mathias :)
E também gosto da tua Berlim.

Lucy disse...

bem-retornada!

Alter Ego disse...

Pode nem acreditar, mas ler este blog para mim é renovador. É como que a vida que toda a gente gostava de ter mas nem todos têm jeito para isso. Não sei como explicar... Obrigada.

Helena disse...

Calita,
ias gostar da conversa, sim. "Não gosto de ser adepto de um clube que ganha tanto." :)

Lucy,
obrigada!

Alter Ego,
obrigada!
Mas olhe que isto não é bem a vida, é mais o modo como se olha para ela. Também tem uma ou outra coisita que corre mal, só que essas partes eu não conto. :)

Gi disse...

Em Berlim está-se bem, claro, mas vais contar coisas da viagem também, não vais? Aposto que não sou a única à espera.
Diz ao Matthias da minha parte que ele é bem-vindo ao Sporting, um clube que não ganha tanto como o Bayern ;-)

Helena disse...

Gi,
vou, vou, mas primeiro tenho de organizar as fotos. São 8 giga delas. :(
Vou dizer ao Matthias, sim, mas ele estava mais virado para um clube alemão.

Gi disse...

Mas o Matthias não sabe que no futebol quem ganha sempre é a Alemanha?
;-)
Vou pedir à Helena Ferro de Gouveia para ajudar a convencê-lo :-)

Matthias disse...

O mae! Ainda gosto do bayern, mas decidiu que quero gostar mais de um outro club ;)

@Gi: Nao sou loco!!

Helena disse...

Aimêdês, o meu filho apanhou-me em flagrante de "manto diáfano da fantasia"!
Estou tramada.
:)