14 fevereiro 2014

brincadeiras de crescidos (2)




Em Portugal temos há eternidades o Big Brother, no qual as pessoas se sujeitam a cenas tristes, ridículas, humilhantes e até indignas - e são observadas e gozadas por milhões. A Quinta das Celebridades: idem. A Casa dos Segredos: idem.
Temos vários programas que vivem (e vivem muito bem) da criação de contextos artificiais nos quais as pessoas aceitam fazer aquilo que normalmente não fariam, e são expostas de forma indecente para rentabilização de uma certa sede de boçalidade que há nas audiências.
O país parece dar-se bem com isso. Diz-se que há que respeitar a liberdade destes adultos que escolhem participar e aceitar as regras deste jogo, acabando até por conquistar um certo estrelado.

Mas depois os nossos jovens chegam à universidade e fazem questão de ser praxados (de se sujeitaram e cenas tristes, ridículas, humilhantes e até indignas), e nós ficamos muito surpreendidos e chocados, e desatamos a protestar que parece impossível, e onde está o seu sentido de dignidade e decência?, e como é possível que eles se sujeitem a isso e os mais velhos os sujeitem a isso?, e que este mundo está roto.

Pensando bem, o que seria de admirar é que depois de todo o lixo que a nossa sociedade lhes serve em prime time, eles chegassem ao princípio da idade adulta com uma consciência muito clara da sua dignidade e dos limites que - nem a brincar - podem ser ultrapassados.


4 comentários:

txticulos disse...

Recordo-me do dia em que isto aconteceu, vi as imagens à hora de almoço num restaurante que ficou mudo e quedo a olhar para a televisão, a reacção instantanea foi de repudio. Durante a tarde no trabalho não se falou doutra coisa e foram aparecendo atenuantes ao golpe. Ao fim da tarde no comboio quatro senhoras comentavam que a patada tinha sido bem merecida. Cheguei a casa a pensar que nada de bom viria de tal acontecimento.

Daniel Carrapa disse...

Olá Helena. Só conheço actualmente uma pessoa em Portugal a reflectir com profundidade sobre televisão e sociedade, o crítico de cinema João Lopes, que escreve no blogue Sound + Vision (que te recomendo). Sobre esse tema, indico o texto A televisão e as suas praxes.
Bjo.

Helena disse...

txtículos, até ontem, nem sabia que isto tinha acontecido - costumo fugir deste tipo de programas como se tivessem lepra (e, de algum modo, têm). Mas não foi nada difícil encontrar isto e muito mais no youtube.

Daniel, obrigada pelo link. Gosto imenso do que o João Lopes escreve.

José María Souza Costa disse...

Olá, tudo bem ?
Aqui no Brasil, essa zorra, também tomou conta da televisão brasileira. Bizarrices, uma forma ao meu de ver de contra-cultura. Pasmen, uma esculhambação, legalizada, pela esculhambação. Não comungamos com esses contextos, o rodapé da cultura, que expõe pessoas. Valeu, e parabéns pela postagem.
Estou seguindo aqui, o seu blogue, e lhe deixando um...
CONVITE
Eu também tenho um blogue, só que muito simples.
Estou lhe convidando a visitar-me, e, se possível seguirmos juntos por eles, e, com eles. Sempre gostei de escrever, expor as minhas idéias e compartilhar com as pessoas, independente da classe Social, do Credo Religioso, da Opção Sexual, ou, da Etnia.
Para mim, o que vai interessar é o nosso intercâmbio de idéias, e, de pensamentos.
Estou lá, no meu Espaço Simplório, esperando por você.
E, eu, já estou Seguindo o seu blog.
Força, Paz, Amizade e Alegria
Para você, um abraço do Brasil.
www.josemariacosta.com