20 janeiro 2014

Claudio Abbado





Esta música, que trouxe do Valkirio, dói hoje ainda mais do que sempre.

Claudio Abbado.

Há uns meses pressenti que podia estar a assistir ao seu último concerto com os Filarmónicos de Berlim, e na semana passada fiquei toda contente ao ver que ia regressar em Maio. Afinal não regressa. Contei aqui sobre o carinho e a gratidão do público berlinense, em Maio do ano passado. Comigo ficará a sua música, e aquela última imagem: sozinho no meio do palco, com as mãos sobre o coração, sorrindo para o público que o aplaudia há vinte minutos.

(Esse último concerto pode ser visto no Digital Concert Hall, aqui - o acesso ao DCH custa 9,90 euros para uma semana, e 24,90 para um mês)

6 comentários:

Paulo disse...

Faz-me muita mossa a sua partida.

Helena disse...

Ainda outro dia se comentava (naquele lugar com F) que era bom se o substituto do Rattle fosse o Abbado. A gente sonha sempre, não é? E depois vem uma notícia assim, e lá se vão todos os sonhos.

Gi disse...

Mas o Abbado já lá esteve antes do Rattle, não esteve?
Eu também lhe sinto a falta, e nunca sequer o vi ao vivo :'-(

Helena disse...

Pois esteve. Depois teve um cancro, e a orquestra não se portou muito bem com ele. Ultimamente andavam a fazer as pazes. Neste último concerto que vi, a orquestra esteve muito bem com ele.

jose disse...

Muito triste.O que ele lutou e o que passou,já doente,à frente da Filarmónica.Grande Abbado.

Helena disse...

José, por isso mesmo fico contente pelo modo carinhoso e respeitoso como a orquestra e o público o trataram naquele seu último concerto em Berlim.