30 dezembro 2013

cenas de um Natal: na Alsácia

Passámos o Natal na Alsácia, numa aldeia perdida na região dos Vosges.
La Petite-Pierre, com o seu castelo envolto em chuva e neblina, parecia o cenário de um conto de fadas e monstros.
No dia de Natal fomos à missa numa cidadezinha próxima. Um dos leitores estava sentado à nossa frente, e cumprimentou-nos no fim da missa. Nós demos-lhe os parabéns pela excelente leitura. Ele começou logo a falar alemão, contou-nos que tinha estudado numa escola de padres, que o ensinaram a ler em voz alta a partir dos dez anos de idade. Depois contou que aquela igreja foi completamente destruída pelos alemães. Comentámos que é um milagre podermos falar em boa paz dentro da igreja reconstruída, e despedimo-nos como amigos.
Também chovia em Estrasburgo. Pobres turistas, nós e os outros: não dá gozo nenhum andar de guarda-chuva em riste a visitar o mercado de Natal. Escapámo-nos para dentro da catedral, que estava enfeitada com o kitsch da época, elefante no presépio e tudo. Tinha muitas velas - fiquei a pensar quanto fervor, gratidão e dores transportariam aquelas ténues chamas de luz quente.
Na Rue des Frères, mesmo ao lado da catedral, descobrimos uma loja de sapatos brasileiros de fabrico artesanal. E no Flam's, um pouco mais à frente, provámos praticamente todas as variações das tartes flambées - e para a sobremesa convencemos o empregado a flambear com Calvados uma tarte de maçãs e canela. Depois fomos a rebolar para o carro (mas ainda conseguimos atravessar a Place du Marché Gayot, a nossa preferida em Estrasburgo).
No regresso a La Petite-Pierre o sol deu um ar da sua graça.


La Petite-Pierre:

















O Fox a caminho de Estrasburgo (agora andamos com uma malinha com as coisas do Fox, como dantes andávamos com o saco das fraldas...):


Estrasburgo:
















O sol em La Petite-Pierre: 










4 comentários:

jj.amarante disse...

Gostei de muitas das fotos, talvez prefira a 7 e a 30. A 26 parece lava de vulcão ou então uma tarte. As figuras que decoram o interior da ábside da foto 20 eram mosaicos?

Helena disse...

A 7 é da minha filha (fez mais uma meia dúzia desse género). A 26 é a nossa sobremesa de maçã e canela, mas não consegui apanhar a chama azul da combustão do Calvados.
Sobre os mosaicos: não sei. Li de fugida umas frases na wikipedia alemã, e pode ser pintura em estilo neo-coiso, feita durante uns trabalhos de restauração. Teria de investigar melhor o nome: Gustave Klotz.

Lucy disse...

Tudo tão lindo, Helena, quer chova quer faça sol... Acho que o segredo está no olhar que se põe nas coisas e se o olhar for amável elas também o serão...

Helena disse...

Lucy, obrigada. O segredo está no olhar. Mas a verdade é que alguém pôs um olhar amável em mim - estas coisas acontecem-me sem esforço. :)