30 janeiro 2013

uma cidade que é um exagero


Pensava eu que já era uma sorte - uma incrível sorte - haver em Berlim uma livraria, a Dussmann, com um andar inteiro só de música clássica, onde a gente vai e pergunta "tem a missa tal de Mozart?" e o empregado responde: "sim, pode escolher ali entre as quinze gravações".

E eis que olho para o programa das óperas em Fevereiro, e descubro que nesse mês há duas Traviatas diferentes. Uma do Neuenfels, e outra do Mussbach.

Esta cidade não exagera nem um bocadinho.

E por falar em Dussmann: hoje o Lang Lang vai apresentar nessa livraria o seu novo CD, com músicas de Chopin. Como é habitual nestes casos, além da conversinha vai também fazer um recital gratuito.
(Mas não vou, porque não tenho tempo e prefiro ir vê-lo amanhã com o Dudamel) (Sim, foi o que eu disse: um exagero.)

4 comentários:

Rita Maria disse...

Eu vi a do Neuenfels, não é má, mas também nada de extraordinário - ou seja, vai à outra e depois conta como foi. Depois trocamos :)

Helena disse...

Eu tenho é pena de não ter visto a Flauta Mágica do Neuenfels que tu viste!
Perguntei outro dia, e disseram que não estão a pensar repor.
:(

camalees disse...

Só digo uma palavra: Inveja.
E ainda por cima o Clooney está agora em Berlim. Vendia a minha alma (quase) para o ver.

Helena disse...

Só digo uma palavra: eunãodouvazão!!!
;-)
Espero que o Clooney passe pela filarmonia quando eu lá estiver. Não me dá jeito nenhum ir ao centro da cidade duas vezes no mesmo dia.
;-)