14 janeiro 2013

pasta italiana e outras reflexões de segunda-feira


Há tempos convidámos o "mestre" do Joachim, um pintor italiano, para vir jantar connosco.
Fiz um esparguete, que me mereceu um comentário céptico do Matthias:
- Achas boa ideia cozinhar pasta para um italiano?
Eu não tinha pensado nisso, e já era tarde para arrepiar caminho. O pintor é bem educado, disse que estava muito bom.

Este fim-de-semana fomos jantar a casa dele, pasta, e eu percebi inteiramente o cepticismo do Matthias: pasta feita por um italiano é outra coisa. 

Fiquei a pensar que é muito bom viver num tempo em que a cozinha pode ser um habitat natural dos homens. E também um lugar de alargamento do nosso horizonte gastro-cultural: naquela casa come-se tanto pasta como couscous, doçaria árabe e pratos turcos.  
O mundo no qual eu nasci não era assim - alguma coisa está a mudar para melhor.  

(foto)

4 comentários:

Luna disse...

Ui, eu não me atrevo, não conheço povo mais chatinho que o italiano nesse aspecto.
Ah, e com o café é a mesma coisa.

Helena disse...

Eu se fosse esperta também não me tinha atrevido, mas naquele dia esqueci-me de acordar esperta...
;-)

(ai! o café! também me esqueci do café! a minha vida social nesta cidade começa a parecer um terreno cheio de minas - mal me distraio: ai!)

Gi disse...

O Joachim pinta?

Helena disse...

Desenha, sobretudo.