10 dezembro 2012

que farei quando tudo gela?

217

Era para ser uma simpática excursão de portugueses ao Mercado de Natal de Blankensee, mas nevava tanto (tanto-tanto) que dois dos carros nem chegaram a sair de Berlim, e o terceiro desistiu a meio da aventura.
Como alternativa, sugeri voltar aos lugares onde já fui feliz. Jagdschloss Grunewald, portanto. Fizemos do café e das salas de museu refúgios aquecidos, para onde fugíamos da insistência da neve.

O palácio tem uma escada de caracol com janelas em forma de paralelogramo obliquângulo (sempre soube que o que aprendi naquela terceira classe semi-antiga me seria algum dia muito útil). Outros tempos, quando ninguém temia ousar a geometria nas casas. Fotografei o pátio através do vidro embaciado.

206a


Um romântico andou a desenhar corações nas janelas para fazer fotografias. Boa ideia!
(roubei, claro)


215a

215b

210a

Saímos por volta das cinco da tarde - já era noite, mas estavam a chegar muitas famílias, com os filhos sentados em trenós: o Inverno também pode ser uma forma de dizer alegria.

261

262a

237a

A caminho do carro, alguém comentou: "se cá estivessem os meus amigos portugueses, já estariam fartos de se queixar do frio".  Depois, para contrabalançar, começámos a comparar as maneiras de ser alemã e portuguesa, e não deixámos os alemães ganhar.

267


2 comentários:

Paulo disse...

Paralelogramos obliquângulos? Ah valente! Já não se fazem arquitectos dessa têmpera.

Helena disse...

:)