19 maio 2012

pedir desculpa

Parece que o Relvas já pediu desculpa ao jornal Público por ter chantageado uma jornalista, ameaçando que ia revelar factos da vida privada dela.
Agora só falta pedir-me desculpa a mim, e a mais todos os portugueses, explicar o que lhe passou pela cabeça para se lembrar de tamanho disparate, e tentar recuperar a nossa confiança política.
Tudo o que fique abaixo de uma longa entrevista na tv, em directo, é inaceitável.
Mas o realmente certo, a única saída possível, era ele ir para a rua imediatamente e pelo seu próprio pé.

Vou espreitar os jornais online, provavelmente já aconteceu. 

9 comentários:

mdsol disse...

Para esperar, o sofá deve ser mais confortável do que a cadeira, Helena. É que não é desejável que arranjes dores nas costas.

Helena disse...

eh, pá, cala-te... Já fui vinte vezes aos jornais, e ainda não se demitiu!
;-)

diasdetelha disse...

Acho que é melhor sentada e numa almofada... Os limites da vergonha destes senhores desafiam qualquer paciência.

(obrigada pelo autógrafo no Tralalá *)

**
mariana

Helena disse...

Mariana, e não podias ter dito quem eras, heinhe? Ao menos escrevi alguma coisinha de jeito?

diasdetelha disse...

Eu não fui, foram por mim :)

sem-se-ver disse...

já aconteceu? mas tu pensas que este é um país civilizado? e pensas que este energúmeno tb o é?

Helena disse...

Mariana,
vá lá, vá lá... Estava a desconfiar que atravessei aquele dia como num sonho.

Sem-se-ver,
hoje li num blogue que ele não se deve demitir, porque são todos iguais. Haviam de ir todos para a rua, ministros e deputados.
Olha, fiquei a pensar naquele poema do Brecht: se calhar era boa ideia demitir este povo e arranjar um outro...

Paulo disse...

"demitir este povo e arranjar um outro"
Isso é que era.

Helena disse...

Já lá vão mais de 24 horas desde que escrevi este post, e o homem ainda não se demitiu?!