30 abril 2012

preparativos para a viagem

Pousada de Estremoz (foto encontrada aqui)


Há tempos escrevi - com o entusiasmo e a confiança a verter directamente para o teclado - um e-mail ao grupo Pestana, explicando que levava a Portugal o escritor Wladimir Kaminer, que lhe queria mostrar lugares muito especiais de Portugal, e perguntando se seria possível fazermos um pequeno circuito das Pousadas. Parecia-me que tinha escrito uma mensagem de fazer sorrir as pedras, mas pelos vistos recebem vários pedidos desses por semana. Triste vida: porque será que os outros também têm ideias tão geniais como eu?...
Passados uns dias, veio a resposta: sim. Foi um daqueles momentos em que fico capaz de rebentar de gratidão. E de dar um aumento de mesada à minha boa estrela, que bem merece (soubesse eu o NIB dela, e era já!)

 Óbidos (foto encontrada aqui)



Na entrevista da Berlinda, o escritor falava da imensa sede de viajar para o estrangeiro, impossível de realizar na época da União Soviética, e da consequente incapacidade de encontrar esses lugares inatingíveis, de tão sonhados e idealizados. Ultimamente tenho pensado bastante nisso, porque vou levá-lo a lugares que ele nunca se teria lembrado de sonhar. Uma cidade com passeios de mármore branco, por exemplo. Uma igreja com seis órgãos. Dormir numa antiga fortaleza em frente ao Atlântico. Passear num burgo medieval renascido após séculos de esquecimento - qual Bela Adormecida. Uma torre toda em mármore onde há uma sala de impressionante acústica (tenho andado a ensaiar diariamente canções portuguesas do séc.XVI, o meu duche está cada vez mais erudito). Dormir onde outrora viveu uma rainha santa de Portugal, sobrinha-neta de uma princesa santa da Hungria e da Turíngia, ambas capazes de transformar em rosas tudo o que tocavam (e agora me ocorre o simbolismo da coisa: na senda de São Francisco, dando pão aos pobres, acenando com rosas ao poder: seriam as primeiras socialistas?) (ainda agora comecei, e já me arrisco a levar um puxão de orelhas da Santa Madre).

Para a preparação da viagem, tenho-me servido do Itinerário Português do José Hermano Saraiva, e da Viagem a Portugal, do Saramago. Também encontrei pessoas de grande cultura e incrível disponibilidade que se ofereceram para nos enriquecer a visita a Mafra e a Évora (eu outra vez a desfazer-me em gratidão, com vontade de perguntar "is this real life?" e de me beliscar para ter a certeza que não estou a sonhar).
Mas gostava de saber mais, muito mais.

Por isso, aqui vai um pedido: agradeço todas as histórias e os detalhes interessantes que me queiram contar sobre Montemor-o-Novo, Estremoz, Évora Monte, Marvão, Portalegre, Óbidos, Ericeira, Cascais. E redondezas.
Aceitam-se também sugestões do género "Ó Helena, tens de os levar a ver a capela não-sei-quê, que vai do paleolítico ao néon em cinco metros quadrados" e "Ó Helena, não te esqueças de lhes contar aquela anedota de como é que se distingue uma azinheira de uma oliveira" e "Ó Helena, tens de comprar gadanhas em Estremoz" e tudo o mais que vos apetecer.
(Também se aceitam sugestões de como alargar os dias para 48 horas, pelo menos) (isso sim, dava mesmo muito jeito)

 Pousada de Cascais (foto encontrada aqui)
    
***

Eu nas Pousadas de Portugal! Já meti na mala aquela camisola com um B em xadrez na frente (que comprei com 70% de desconto, que eu sou um bocado maluca mas não sou completamente tresloucada) e que deixa a minha amiga de Munique sempre muito bem impressionada. Se até os de Munique impressiona, não me há-de deixar ficar mal nas Pousadas de Portugal. Só vai ser um bocadinho estranho andar todos os dias sempre com a mesma camisola, vou passar a ser conhecida como aquela da camisola vermelha com um B à frente.

16 comentários:

Lucy disse...

convento capuchos sintra?

snowgaze disse...

LOL

boa, Helena, tu mereces, por andares a fazer serviço público.Olha, eu pedi uns cartazes ao turismo de Portugal, que era para a "feira" do dia da Europa, para promover Portugal com algo mais do que uns petiscos, mas eles não devem gostar de emails, ou então não estarão assim tão interessados em receber mais turistas, que nem me responderam. Com um bocado de sorte, os estrangeiros gostam tanto dos meus croquetes de carne que vão logo a correr comprar bilhetes para as maravilhas de gastronómicas de Portugal....

Bons passeios!

cjs disse...

Em Montemor, podias levá-los a visitar o Monte do Chora Cascas, onde tenho a certeza que serão muito bem recebidos pela anfitriã.

Leonor disse...

Ando a polir o meu alemão todos os dias :)))))

Helena disse...

Lucy,
conte-me uma história! :-)
Anotei, sim senhora, obrigada.

Snowgaze,
desconfio que os estrangeiros vão é gostar do teu sorriso! Nem é preciso cartaz.
Também desconfio que estão a fechar todos esses postos, provavelmente não há ninguém disponível para mandar cartazes para ninguém.

cjs,
o Chora Cascas, boa ideia! Anotado.
Não, pensando bem, não os levo lá. Que eu não sou parva, e bem sei que quando virem aquela piscina a cair para a paisagem imensa, nunca mais os consigo levar a lado nenhum, e lá se me acaba o périplo alentejano logo na primeira etapa!

Leonor,
e eu, e eu! :-)

Maria do Ceu disse...

O Porto tem lugar nesse roteiro?
(uma prova de vinhos e tal...)

http://www.visitporto.travel/Visitar/Paginas/default.aspx

E Guimarães, Capital Europeia da Cultura - 2012?

http://www.guimaraes2012.pt/index.php?cat=16

"Ai mê Dês k'assim" esse passeio turístico ainda se transforma em morada permanente...

A. Castanho disse...

Oi, Helena, isto de dar palpites turísticos a alguém como tu é quase como levar areia para a praia...


Mas resumindo, em Portalegre sugiro uma visita à Casa-Museu José Régio, com pena de já lá não estar o velhote que recitava de cor mas com alma a "Toada de Portalegre", dele Régio. Que foi Prof. no Liceu dessa Cidade em tempos que não seriam lá muito diversos dos do Comunismo soviétivo, em tantos aspectos...


Passando à frente, nas redondezas de Cascais existe a Casa do Saramago, como sabes, existe o Fado, por exemplo atrás da Casa dos Bicos (na Rua João da Praça), existe o último piso da Albergaria do Monte para tomar um chá com a melhor vista de Lisboa, e existe o tal Miradouro em Almada Velha que conheces e que tem a melhor vista para Lisboa...


E um sem-número de descobertas que deves deixar ao improviso, se tiveres possibilidade de estar no sítio certo à hora certa (que é quase sempre de manhã cedo)...


Mas posso recomendar-te o terraço de um Hotel novo em frente à Estação do Rossio, o Largo do Carmo e o topo do Elevador da Glória, o Miradouro de S. Pedro de Alcântara e o Castelo de S. Jorge, tudo nas redondezas de Cascais...



Já para não falar em coisas mais difíceis, como ir de barco ao Forte do Bugio, ou entrar no Forte de S. Julião da Barra, onde mataram o Gomes Freire de Andrade e o atiraram aos cães, apesar de ser um General prestigiado.


Enfim, o melhor é ligares, se precisares de alguma informação de apoio ao nosso proverbial "desenrascanço"!


E uma boa estadia por cá (talvez consiga passar este Sábado na Feira, entre a saída da Ju do trabalho e a ida ao jantar de aniversário da minha Afilhada...)!

Teresa O disse...

Olá! Sobre Portalegre, enviei um mail para o endereço do blogue. Espero que tenha chegado!

Bosc d Anjou disse...

O sítio do Lisbon Lux Magazine

http://www.lisbonlux.com/magazine/

tem muitas sugestões engraçadas (umas clássicas, outras inesperadas) nos arredores de Cascais...

Bosc

Helena disse...

Teresa,
infelizmente não chegou.
Para evitar e-mails de spam automático, o endereço de e-mail tem um * em vez de um @
Não se importa de trocar isso manualmente, e enviar de novo?
Obrigadíssima!

Helena disse...

Bosc d'Anjou,
obrigadíssima por esse site. Não conhecia (shame on me!), fui lá dar uma vista de olhos, e agora estou aqui sem saber para onde me virar: tanto que fazer, e tanto que me apetece ficar lá o dia todo!

Helena disse...

Céu,
eu bem queria levá-lo ao Norte (o delírio!), mostrar-lhe a Senhora da Peneda e os espigueiros do Soajo (e a carne, aqueles nacos de carne barrosã!), metê-lo num comboio da linha do Douro...
Mas ele tem três dias para tudo, inclusivamente uma conversa em Montemor-o-Novo (viste-me esta expatriada a trabalhar pro regionalização?), o lançamento e a russendisko em Lisboa, os jornalistas. O pobre do Kaminer nem vai ter tempo de ir ao twitter fazer uns pontos de exclamação.

Teresa O disse...

Ups! E eu que, à cautela, enviei para as duas possibilidades, com e sem asterisco... zelecm no gmail, certo? Vou reenviar.

Teresa O disse...

(o mail chegou?)

Helena disse...

Teresa,
chegou, finalmente!
Esse, e mais uns vinte! Que terei eu feito ao meu gmail, que não conseguia ler as mensagens?
Obrigadíssima! Já vou responder.

Anónimo disse...

Ao passar por Castelo de Vide, lembre dois visionários de coração enorme: Salgueiro Maia e Mousinho da Silveira:
http://www.fontedavila.org/textos.aspx?menu=59&modo=det&ide=7

E bem haja pelo blog de que sou apreciadora assídua
Ana Patrício