23 março 2012

música para a quaresma

Assistir a um ensaio de música coral com um maestro de um lado e uma cantora lírica do outro é uma experiência inesquecível:

Voz de um lado: A acústica desta igreja é maravilhosamente redonda...
Voz do outro lado: Não sei o que é que esta igreja tem, que falta profundidade à acústica!
Voz de um lado: É um coro excepcional.
Voz do outro lado: Não consigo entender bem algumas frases.
Eu: Mas o programa tem as letras, não tem?
Voz do outro lado: Sim, sempre ajuda um pouco.
Voz de um lado: Esta peça moderna é demasiado romântica para o meu gosto.

E por aí fora.
Pior que isto, só mesmo cair nas mãos de uma junta médica.

Mas nem as avaliações profissionais me impediram o ignorante prazer de fechar os olhos e me deixar levar pelas ondas que percorriam a igreja. O Heinrich Schütz, com os cantores espalhados por vários pontos da sala, ficava perfeito e envolvente. E os Fragmenta Passionis, do Rihm, surpreenderam-me em especial com os seus momentos quase fotográficos dos sons do mob. Muito bom.




 


A quem interessar possa: 

Sábado, 24 de março 2012, 16:00

Sophienkirche Berlim

Wolfgang Rihm
Fragmenta passionis
Heinrich Schütz
Musikalische Exequien op. 7
Wolfgang Rihm
Sieben Passions-Texte für sechs Stimmen
Raphael Alpermann, Cembalo/Orgel
Wieland Bachmann, Kontrabass
Aleke Alpermann, Violoncello
Solisten des RIAS Kammerchores, Sänger
RIAS Kammerchor
Hans-Christoph Rademann, Dirigent

6 comentários:

Paulo disse...

Hoje não me dá jeito.

Helena disse...

Pois, eu sei: corrias o risco de chegar com atraso a Munique!

Paulo disse...

;)

(Uma vez quase ia chegando atrasado: fiquei preso no metro em Colónia, por avaria, por pouco não perdi o comboio.)

Paulo disse...

(Para que não digam que na Alemanha funciona tudo bem e só cá é que funciona tudo mal.)

Lucy disse...

interessar, interessa...

Helena disse...

Lucy,
:D