05 outubro 2011

começar o dia assim

Esta manhã começou cedo, com serviço do táxi Araújo.

Enquanto atravessava a cidade cinzenta, ouvia deliciada este antídoto que a rádio oferecia (obrigadinha, ó RBB Kulturradio):



Oh lovely Art, in how many grey hours,
When life's fierce orbit ensnared me,
Have you kindled my heart to warm love,
Carried me away into a better world!

How often has a sigh escaping from your harp,
A sweet, sacred chord of yours
Opened up for me the heaven of better times,
Oh lovely Art, for that I thank you!


(Schubert: "An die Musik"; tradução tirada da wikipedia)


Ao passar em frente à Chancelaria, uma gargalhada: há uma placa enorme a apontar na sua direcção, e diz "massagens".
Não é gracinha de algum artista de rua - ficou ali esquecida depois da maratona.

Em suma: há piores maneiras de começar o dia.

4 comentários:

Paulo disse...

Assim comecei o dia eu, com a bela Dame Janet. Só faltam as massagens. E dariam jeito, que os últimos dias têm sido que nem te digo nem te conto.

Helena disse...

E o táxi!
Não percas o táxi Araújo, que é o táxi mais erudito desta cidade.
(isto sou eu, que não percebo nada de turco, e por isso parto do princípio que os outros taxistas não têm nada de jeito para contar)

Paulo disse...

Quando voltar a Berlim, tirando os pés e a bicicleta, será esse o meu transporte preferido. To garanto.

Helena disse...

:-)

(a ver se se arranjam também as massagens)