16 outubro 2014

Luís Filipe Sarmento sobre o ARtMÉNIA

(Desculpem o momento de fraqueza que faz sucumbir a falsa modéstia, mas tem de ser. Nem é por mim, é mesmo só para efeitos de arquivo...)




«Arménia» de Ricardo Espírito Santo e Helena Araújo
Assisti, anteontem, ao documentário «Arménia» de Ricardo Espírito Santo (realização) e Helena Araújo (guião), projetado no Grande Auditório da Fundação Calouste Gulbenkian.
Dizer simplesmente que se gosta de uma obra desta dimensão artística e humanista é curto. O Ricardo (de quem sou amigo) e a Helena (que não conheço pessoalmente) mostraram que o documentário é uma disciplina superior do cinema. Ao estabelecerem um protocolo de afetos abrem as portas da percepção do espectador a um admirável mundo antigo. Um universo de um povo esmagado por genocídios, quase aniquilado por todos aqueles que não acreditam que a História de uma nação é mais poderosa que um qualquer intento de apagá-la com sangue assassino. Mas também um universo que guarda em si a mais antiga tradição cristã com as suas crenças, com os seus rituais, com a sua magia. Diria que se trata de um encantamento da distância.
Documentário de texto. Um texto brilhante que transportou o espectador ao longo de 110 minutos por uma história que devia ser património da humanidade e não alvo da cobiça dos ignorantes. Um texto que faz história no documentarismo português, europeu, universal. Um texto que nos ensina a ler a paisagem com a cumplicidade de uma fotografia de excelência de Pedro Magano, a subtileza dos movimentos de câmara, o olhar poético de Ricardo Espírito Santo. Um texto que nos ensina a ver imagens.
«Arménia» não é só um excelente documentário, é uma peça rara no cinema europeu, uma obra de arte a preservar. Mas é também uma exigência aos seus criadores que o caminho mal começou e muito têm para nos oferecer.
Por último, quero destacar o mérito da produção (que não é fácil) e de toda a equipa de Terra Líquida pela paixão que depositaram neste sonho de fazer cinema, neste cinema que nos faz sonhar! A todos, o meu agradecimento, como espectador! LFS

8 comentários:

Filipa disse...

Infelizmente, não pude ver o documentário.

Estão a planear editá-lo em dvd, ou em algum outro formato?

Lucy disse...

Parabéns! Parabéns!

jj.amarante disse...

Uau! Não pude ir, parabéns pela boa crítica, quando passa na TV?

Helena disse...

Olhem: esta história não acaba aqui. Vai passar com certeza na TV, estamos a pensar até sair pelo país a mostrar e a conversar com as pessoas. Um dia destes daremos mais notícias.

Interessada disse...

Parabéns Helena. Estupidamente esqueci-me e só dei por isso já de madrugada. Espero agora não perder a boa notícia de passagem na TV.

CCF disse...

Sair pelo país e conversar com as pessoas...que ideia magnífica! Passem por Setúbal, haverá modos de acolher.
~CC~

camalees disse...

Magnífico e merecido elogio. Apetece-me apertar-te com força de tanto orgulho ( ou sentar-te na cadeira do Rattle).

Helena disse...

Obrigada a todos.
Lena, quem se senta na cadeira do Rattle és tu! :)
CC, veremos, veremos.