15 novembro 2013

gente boa



Telefonaram cá para casa. O espumante para a festa de amanhã, encomendado a um amigo que é produtor na zona do Reno, já está no armazém. Queriam vir entregá-lo na terça-feira.
- Na terça-feira?! Mas eu preciso dele para a festa que é já amanhã!
- Aqui não diz nada que tinha de ser entregue hoje.
- Mas olhe que nós dissemos isso ao vendedor.
- Ele deve ter-se esquecido.
- Oh, não me diga! E agora?
- Vou ver se há maneira de resolver o problema, e já lhe ligo.

Daí a 10 minutos:
- Infelizmente, não há mesmo solução. Já não temos aqui nenhum condutor para sair, que possa levar também isso.
- E onde é que fica o armazém? Se calhar o meu marido pode ir aí buscar.
- Fica a sul do aeroporto Schönefeld. Pode vir até às duas da tarde [eu a pensar: o Joachim a fazer pausa do almoço, hihihi hohohoho hahahahha huhuhuhuhu, boa piada, contem-me outra!] ou então deixamos as caixas fora do armazém, até às quatro e meia. [idem]
- E amanhã?
- Também explorei essa possibilidade, mas infelizmente amanhã não há ninguém aqui na empresa.

Telefonei ao Joachim. Telefonei-lhe a ela:
- Olhe, não dá mesmo. O meu marido não pode sair do trabalho tão cedo.
- A que horas é que ele sai?
- Nunca antes das seis da tarde.
- Então, vamos fazer assim: eu levo as caixas para a minha casa, em Kreuzberg, e ele depois do trabalho vai lá buscá-las. Dou-lhe a minha morada, o meu nº telemóvel, e ele vai lá ter.

Claro que lhe vamos dar uma garrafinha das melhores que vierem nas caixas.

E mais uma vez confirmo: o mundo está cheio de gente boa. Pessoas excelentes.

3 comentários:

Teresa disse...

Gosto tanto de histórias quotidianas assim, de boa vontade, de espírito inventivo e de ajuda, de fazer mais do que aquilo a que se é obrigado. :)

Helena disse...

Pois é - eu fico outra vez cheia de vontade de acreditar na humanidade!

Maria Miguel D. disse...

Muitos parabéns!
Um abraço blogosférico,
Maria Miguel