20 abril 2013

e lá vou eu outra vez...



Será que dava para desacelerar um bocadinho? Ainda nem consegui contar os highlights da viagem à Bolívia e ao Peru, e já estou a fazer as malas para sair para a Arménia. Desta vez é em trabalho. Se é que se pode chamar trabalho a uma aventura incrível em que estou metida.

Depois conto. Para já, adianto que passei a semana a pedir ajuda a milhentos arménios que não conheço, e foram tão simpáticos e prestáveis que começo a pensar que vou gostar muito de conhecer este povo.

***

Não me digam que pensavam que eu saía daqui sem falar da Filarmonia?! Era o que mais faltava. Já tenho alguns posts em atraso sobre esse tema, mas é a tal coisa: é um bocado difícil viver e contar ao mesmo tempo. A ver se, depois do post sobre Machu Picchu e o outro sobre o cebiche de Lima e um museu que lá tem com uma colecção de cerâmica erótica formidável e explicações pedagógicas muito embaraçadas, hihihi, e ainda Sucre e Potosi, a ver, como dizia, se depois desses posts não me esqueço também de contar que começo a sentir uma certa atracção por Hindemith (será da idade?).

Pois é, há muito para contar, mas o avião sai daqui a bocadinho e ainda tenho de encher o frigorífico de comida para os rapazes que cá ficam, e fazer a mala, e mais uma ou outra coisita.
Por isso conto apenas isto: fui ao aeroporto buscar o colega que vai comigo para a Arménia. No caminho para casa dei umas voltinhas para lhe mostrar Berlim. Parámos na Filarmonia para eu lhe mostrar a surpresa da arquitectura, e de repente, sem saber como, demos connosco a assistir ao ensaio geral de um concerto histórico que vai acontecer amanhã.

***

- E que vais tu fazer à Arménia, Heleninha?
- Ora: assistir a um concerto histórico, claro. What else?

Depois conto.

2 comentários:

Gi disse...

Hehe aqui te esperamos. Vai e volta bem.

Helena disse...

Obrigada, Gi.
Hoje assisti ao ensaio geral do tal concerto historico aqui em Yerevan.
Tenho a certeza que tambem terias gostado muito.