20 maio 2012

para acabar de vez com a traça...



No blogue [a barriga de um arquitecto]: Para acabar de vez com a traça (arquitectónica)

1 comentário:

Helena disse...

Adenda, copiando para aqui um comentário que o Daniel escreveu no facebook (isto é sempre a aprender!)

Olá Helena e olá amigos da Helena. Uma adenda ao meu texto aqui citado: não é um ataque aos arquitectos. E temos muitos bons exemplos de intervenção contemporânea em edifícios antigos - o texto também não é bem sobre isso. É sobre duas coisas que me incomodam (e era suposto ser irónico)...
Primeiro, a expressão "traça" arquitectónica; já me fartei de pesquisar de onde é que isto vem e não consigo encontrar; temos traço, traçado, mas como é que a traça se foi meter com a arquitectura, não sei.
Segundo, sobre uma cultura de proibicionismo que também existe, em especial na tutela dos centros históricos, que impede muitas vezes, de forma liminar, que se pense a cidade com novas ideias. Casos em que o arquitecto se depara com alguém (porventura também arquitecto) que lhe diz coisas como: "Olhe, nós aqui no concelho temos estes três ou quatro desenhos de beirado. Escolha um!"
Mas é verdade, também temos bons exemplos. Não iria buscar a Casa dos Bicos, demasiado específico como obra de reconstrução (e que não tem bem a ver com o que falo no post), mas, por exemplo, a intervenção do Convento de São Francisco pelo Cândido Chuva Gomes, em Portalegre, ou o Conservatório Regional de Música de Vila Real, pelo António Belém Lima.