23 abril 2012

identificação de um homem

Shame. Saí do cinema com falta de ar.

Valeu-me o Cummings:

i like my body when it is with your
body. It is so quite new a thing.
Muscles better and nerves more.
i like your body. i like what it does,
i like its hows. i like to feel the spine
of your body and its bones, and the trembling
-firm-smooth ness and which i will
again and again and again
kiss, i like kissing this and that of you,
i like, slowly stroking the, shocking fuzz
of your electric fur, and what-is-it comes
over parting flesh… And eyes big love-crumbs,

and possibly i like the thrill

of under me you so quite new

e.e. cummings


Aqui em versão tropical:




No autocarro, dois adolescentes completamente embriagados sentaram-se no banco à minha frente.
Ele dizia frases curtas brutais:
- um i-phone é o melhor para dar cabo de um rosto - tinhas de me ver, não parava - batia e batia com o i-phone naquela cara -
Ela tentava apaziguá-lo, mas ele não parava:
- cala-te! cala-te! - não percebes nada - às vezes tenho de bater - um ódio, odeio as pessoas -

Olhou para mim com ar inquiridor mas por sorte eu estava extremamente concentrada a ler uma placa da frente para trás e de trás para a frente - Augustinerplatz/ztalprenitsuguA - ele desistiu de olhar, e continuou o seu discurso:

- cala-te, cala-te! - basta um olhar, um olhar nem que seja por uma fracção de segundo - tenho-lhes um ódio! -

Saíram do autocarro. Entre os passageiros espalhou-se uma onda de alívio. No seu lugar sentou-se uma menina de três anos, de olhos escuros muito curiosos e alegres. Ar fresco, enfim!

3 comentários:

sem-se-ver disse...

porquê falta de ar? achei o filme fraquinho, muito sobrevalorizado pela crítica, moralista até dizer chega, embora, sim, por vezes tocante.

fiquei só, portanto, desiludida (o hunger é das melhores coisinhas que vi nos últimos anos, ia portanto com altas expectativas).

Helena disse...

Falta de ar por causa do desespero daqueles dois, cada um a sofrer imenso, e incapazes de saírem daquele buraco.

Izzie disse...

Achei o shame um dos melhores filmes que vi nos últimos tempos, a realização soberba e o Fassbender é tão bom actor que chateia. E não achei nada moralista, a sério! O personagem não faz nenhuma viagem, não tem redenção. Mas, por comparação, achei que o chefe dele era uma criatura bem mais abjecta, talvez pela hipocrisia.