21 dezembro 2015

o Natal mais quente de sempre

Diz que este ano vamos ter o Natal mais quente desde que se começou a registar a temperatura.

Acredito, e não me admiro: no sábado estivemos a grelhar e a comer ao ar livre com os vizinhos, como no verão passado. E na sexta festejámos o aniversário do Joachim com a projecção de um clássico (Die Feuerzangenbowle) ao ar livre. Na Alemanha, este é um filme tipo do-along: quando eles bebem o vinho quente nós também bebemos, quando fazem uma experiência de química nós acendemos sparklers, etc.

(A primeira vez que o vi, há quase trinta anos, fiquei muito surpreendida pelo aroma a vinho quente que se espalhava pela sala de cinema sempre que mostravam o caldeirão. Pensei - confesso que é muito triste ser nova... - que seria um cinema com efeitos especiais, para além da imagem e do som.
Mas era apenas o público a abrir a sua garrafa térmica e a servir-se de Glühwein.)

Tudo isto é divertido - mas deixa-me apreensiva. A continuar assim, aonde é que vamos parar?

E que vou fazer a todos os casacos de penas e às botas de pêlo de ovelha? Levei-os hoje para passearem um bocadinho, e regressei a casa a transpirar.











4 comentários:

Cristina Torrão disse...

Guarda bem guardadinhos os casacos de penas e as botas de pêlo de ovelha! Garanto-te que ainda vais precisar deles ;)

Eva Rocha disse...

Olá, foste nomeada para a TAG Liebster Award, se quiseres responder, visita o meu blog para veres o modelo.
Beijinhos!

http://lserotoninal.blogspot.pt/

Helena disse...

Cristina, como é que adivinhaste? ;)

Helena disse...

Eva, obrigada, mas raramente participo neste tipo de brincadeiras.