20 fevereiro 2015

sabor a


Estes dois senhores são os patronos de um projecto da Filarmonia ao qual concorri: um concerto com cantores amadores. Concorri pensando que tinha a sua graça estar do lado de lá, uma vez na vida.
 Não sei é se eles vão achar a mesma graça que eu, que isto a minha voz já não é o que era. E tudo por causa do preço da energia. Dantes, no tempo da gasolina barata, cantava muito. No carro, ó pra lá e ó pra cá. O Chico Buarque nem sonha a quantidade de duetos que fizemos juntos. E no duche também - às vezes aviava discos inteiros, LPs (sim, o vinil era o suporte habitual no tempo em que eu decorava os discos inteiros). Mas agora tomo duches de uma ou duas quadras, no máximo, e ando de transportes públicos, ou a pé. As circunstâncias pedem um registo discreto, que isto é Berlim, é verdade, mas também não é preciso abusar. Estou uma especialista em música tipo meditação.

Será que devia cantar a seco e imóvel? De pé, no meio da sala?
Acho que não: ia parecer uma profissional, e eles foram bem claros - músicos amadores. Emboramente, eu bem sei como é que os amadores alemães são...

A ver se me chamam para a prova de admissão, a ver se me aceitam.

Em suma: gostava imenso de trabalhar (oh, se gostava!) com estes senhores. Mas suspeito que esta imagem deles no projecto é como a das laranjas nos pacotes de sumo com sabor a.


4 comentários:

Lucy disse...

de certeza que chamam e vai ser enorme sucesso!

Helena disse...

Lucy!
Não diversifiques: tu és fã do Matthias, não minha... ;)

Gi disse...

Ficarei muito contente quando te chamarem e aprovarem, Helena :-)

Paulo disse...

Toi toi toi desde já.