15 outubro 2014

selfie interview




- Como foi a  reacção do público ao filme ARtMENIA?
- Das duas, uma: ou o Ricardo e eu temos muitos amigos, e todos excelentes, ou o ARtMENIA não nos saiu muito mal. As pessoas protestaram por não ter havido debate no final (e se eu estava preparada! até me penteei e tudo!), queriam saber onde é que o filme vai passar, queriam a banda sonora, queriam falar.

- E como é que se sente?
- Obviamente (estou a citar o meu sobrinho mais famoso deste blogue) muito feliz por o público se ter deixado tocar por este povo. Sinto que conseguimos traduzir para o filme algum do fascínio que nós próprios sentimos enquanto andávamos na fase da descoberta.
E sinto-me especialmente aliviada pela reacção de alguns dos arménios que viram o filme. É um risco enorme falar do país e da cultura dos outros, e durante estes dois anos a minha maior preocupação era ficar aquém daquilo que os arménios merecem.

- E qual foi o momento mais emocionante?
- Foram dois:  o final, com o Arto, quando eu me dei conta que desta vez ia conseguir ouvi-lo até ao fim sem largar uma única lagrimita, e depois, cá fora, quando uma arménia me quis agradecer e desatou a chorar. Parece que a equipa que fez este filme conseguiu entender e transmitir alguma coisa importante.



4 comentários:

Paulo disse...

Um grande filme, sem dúvida. Venha a Berlinale.

Gi disse...

Parabéns a toda a equipa. Agora eu, que não consegui teletransportar-me para a Gulbenkian no meio da semana, fico à espera de poder ver o filme noutro dia, noutro lugar.

Gi disse...

Ah-ha, acabei de ler no "Boas Intenções " que vai passar na televisão. Boa.

Helena disse...

Obrigada, Paulo. Faremos por isso.

Gi, é isso mesmo: um dia destes passa na televisão. Em edição revista e melhorada.