02 abril 2014

breviário para a quaresma (13)


* Cena do filme "Ravished Armenia", feito em 1919, a partir do relato de uma sobrevivente:




Se quisesse resumir o horror do genocídio arménio numa imagem, era esta.
Será que os turcos que se lembraram de crucificar jovens mulheres arménias imaginaram o poder simbólico desta cena?

Disseram-lhe, pois, os outros discípulos: Vimos o Senhor. Mas ele disse-lhes: Se eu não vir o sinal dos cravos em suas mãos, e não puser o meu dedo no lugar dos cravos, e não puser a minha mão no seu lado, de maneira nenhuma o crerei. João 20:25




* Alguns dos arménios crucificados por turcos foram ajudados por beduínos que passavam, os salvavam daquela tortura e os levavam na sua caravana. Como tantas vezes, os gestos de maior humanidade vêm dos que não estão instalados.

Pois eu tive fome, e vocês não me deram de comer; tive sede, e nada me deram para beber; fui estrangeiro, e vocês não me acolheram; necessitei de roupas, e vocês não me vestiram; estive enfermo e preso, e vocês não me visitaram'. Eles também responderão: 'Senhor, quando te vimos com fome ou com sede ou estrangeiro ou necessitado de roupas ou enfermo ou preso, e não te ajudamos?' (Mateus, 25:36-46)


Aconteceu há 99 anos. Continua a acontecer - com outros motivos, outras religiões, outros ódios e outras formas de crueldade.


E nós, que fazemos?


4 comentários:

Na Província disse...

Ainda estes dias, no meu cantinho referi que nem tenho dado pela quaresma este ano!

Helena disse...

Ora, em quaresma e penitência andam os portugueses desde 2011...

Interessada disse...

Talvez esta inquietação desaquiete.

Carlos Azevedo disse...

Como bem escreves, «como tantas vezes, os gestos de maior humanidade vêm dos que não estão instalados».