05 fevereiro 2014

praxes: quem não quer fica de fora...



Comentário encontrado no blogue Pais de Quatro:

Aqui sob a capa do anonimato, vou confessar algo que nunca disse a ninguém.
Sempre fui uma óptima aluna. E todos à minha volta me imaginavam na universidade.
Acabei o liceu aos 17 anos e ... não consegui inscrever-me.
Dei variadas desculpas, porque a verdadeira só eu sabia: a minha timidez, o saber que chorava (choro) com facilidade, meteram-me um medo de morte de ir para a universidade. Não fui...
Podem dizer que fui medrosa, cobarde, o que quiserem, mas não consegui... Era insegura demais. Naquela altura estar longe de casa, da minha familia já iriam ser dificeis e ouvir tantas coisas das praxes assustou-me demais...

Hoje sou casada, tenho dois filhos e ... não os imagino praxados.
Aliás, revejo-me no meu filho mais velho (12 anos) que fica aflito só de ouvir estas coisas sobre as praxes nas televisões.

Tento desvalorizar e até tenho um discurso tipo: ah e tal só serás praxado se quiseres, se quiseres ser praxado e te fizerem alguma coisa que não devem podes fazer queixa e bla bla bla.... digo isto mas da boca para fora. Tentando não transmitir ao meu filho o medo que ainda sinto da praxe. Para que um dia ele decida por ele... mas....