24 janeiro 2014

então pronto, vou fazer um referendo sobre coisas que não vos dizem respeito (parece que agora é moda)

Olá meu bom povo,
é o seguinte: tenho uma semana para decidir como vai ser a cozinha, e está-me a dar aquela angústia do guarda-redes antes do penalty.
Ali por alturas de Setembro as coisas iam às mil maravilhas - um amigo até se deu ao trabalho de fazer desenhos bonitos para eu ver como ia ser aquilo que tinha sonhado, e tudo. Mas na semana passada o meu irmão (este) veio cá, subiu ao andar onde vai ser a cozinha, e pôs-se a dizer o que me anda a repetir há uns cinquenta anos, "és muito trenga, moça!", e que tenho de escolher entre um espaço realmente bonito ou uma cozinha-tipo-coiso e uma salinha-tipo-coiso, e que até dói uma sala daquelas ficar dividida em duas coisinhas-tipo-coiso, e que a única maneira de resolver a questão com dignidade é apostar no design. Eu insistia e gemia "ai a minha rica cozinha aberta escondida!" e "não me destruas os sonhos!" - mas ele permaneceu inflexível.
Depois de muitas negociações e muitos "não sejas trenga, moça!" (desconfio que levei por tabelinha por causa de todos os seus clientes que também insistem no "e é 2 cm para a esquerda ou para a direita?" e "seria preferível cinza escuro ou antracite claro?") lá me deixou com uma nova ideia de cozinha nas mãos.

Portanto, a pergunta do referendo é:

Concorda que a Helena deve fazer a cozinha nº2 e o irmão dela é muito bom arquitecto mas é um chato descomunal que a devia tratar melhor?

Aqui estão as descrições das duas cozinhas:

* Cozinha nº 1:

Aberta, mas com armários de cerca de 1,10 m de altura a separar a parte de cozinha da de comer, para que quem está sentado não veja a desarrumação que vai na cozinha.

Nota: esta semana decidimos que não vamos fazer a lareira (que ainda se vê nos desenhos desta cozinha). Se quiserem, também posso fazer um referendo para isso ("Concorda que a Helena deve fazer uma lareira no 3º andar da casa, e o marido é quem carrega a lenha e limpa o pó aos livros?")








* Cozinha nº 2:

Aberta, completamente. Com a parede do fundo coberta de armários altos, e um nicho para poder pousar as máquinas (de café, torradeira, etc.). Na perpendicular à parede dos armários há uma mesa de uns bons cinco metros de comprimento, composta por várias mesas iguais (que podemos deslocar para a varanda ou usar como sideboard, em caso de festas, por exemplo) e um bloco com o fogão e a pia. O tampo das mesas é em madeira de carvalho, como as portas dos armários do bloco.
Nestes desenhos ainda não se vê a parte das mesas (imaginem-nas alinhadas pelo bloco, com a mesma largura e o dobro do comprimento, e com a altura da parte do bloco onde está o fogão)








27 comentários:

Maria de Jesus Lourinho disse...

Olá Helena. O seu irmão deve ser um excelente arquitecto e eu também conheço vários excelentes arquitectos; e já fiz tantas obras que nem me apetece contar, e eles são tão imaginativos e esforçados, mas eu tenho-os sempre de "rédea curta". Não se esqueça de perguntar ao seu irmão qual a área de trabalho de que poderá dispor para, de facto, cozinhar. Boa sorte.

Helena disse...

Maria de Jesus Lourinho,
estou a ver que tenho aqui uma aliada na guerra entre a arte e a vida real. :)
A área de balcão a uns 95 cm tem 1,70 m no total (e inclui a pia). Mas tenho ao longo dessa área espaço para pousar coisas, e ainda o nicho para as máquinas, pelo que a área de trabalho não é tão pequena como isso.
Na maior parte das nossas cozinhas pousa-se tudo ao longo da área de trabalho, pelo que acabam por sobrar uns 20 ou 30 cm de profundidade como superfície de trabalho.

calita disse...

Eu não sou muito dada a modernices, mas a segunda cozinha é maravilhosa, Helena! Só não percebi se a pia e o fogão ficam no centro, como aparece na imagem, ou no tal bloco da(s) mesa(s).

Izzie disse...

Não percebo nada de design, mas a cozinha nº2 parece-me pouco prática. A área de trabalho é pequena. E na nº1 há diversas vantagens, como seja o facto de o lava loiça (que costuma ter a máquina de loiça por baixo) estar a um passo do fogão, ou seja, uma pessoa lava os alimentos, prepara-os, dá uma volta de 180º e coloca-os no tacho ou frigideira. Na nº2 tem de estar a rodear a ilha, uma trabalheira. A parede de armários é muito jeitosa, por causa da arrumação, mas quem me tira uma boa bancada tira-me tudo.

Helena disse...

Calita, ainda bem que gostas. É que eu gosto muito, mas ainda não me convenci a mudar da perspectiva prática para a deste design.
O tal bloco do centro é mesmo onde estão a pia e o fogão. As mesas aparecem "coladas" a esse bloco, e à altura da parte mais baixa (a do fogão). Avançam na direcção da janela grande para o terraço da frente (que se vê muito bem na cozinha nº1).

Helena disse...

Izzie,
Na minha casa em Portugal há uma cozinha com um bloco deste género: um quadrado, com o fogão num canto e a pia no canto oposto (em diagonal). Não me chateia nada trabalhar assim.
As cozinhas têm mesmo de ser super-práticas? Conheço muitas que não o são, que não o são de forma alguma, e isso parece não incomodar as pessoas que lá trabalham.

Contudo, também ando a pensar nessa da boa bancada. Estava tão contente com a ideia de ter mais de 2 x 2m de bancada! Só que, em boa verdade (isto sou eu a dar a mão à palmatória do design) eu só preciso de 60 cm ao lado da pia para cortar e preparar alimentos. O resto é espaço ocupado com mil e uma máquinas e pratos de fruta e garrafas e sei lá que mais - tudo isso fica arrumado no nicho junto à parede - os meus 1,70 m na bancada da pia são mesmo espaço de trabalho, e não de depósito de coisas.

Maria de Jesus Lourinho disse...

Como disse, já fiz muita obra e o que acho que posso dizer mais é isto: ter um bom arquitecto é muito bom para resolver os problemas que surgem na concretização dos NOSSOS sonhos e durante a construção da NOSSA casa. Para além disso,cada família vive a casa à sua maneira. É preciso saber quantas pessoas cozinham ao mesmo tempo (cá em casa sou só eu) e o que nos é mais importante - espaço de arrumação, ou espaço de trabalho, ser eminentemente prático ou eminentemente bonito. Para todos os efeitos a minha casa é a minha "área de conforto" e não deixo que ninguém sugira que devo sair dela.
Também aprendi (e pratico) que na cozinha deve haver o triângulo de ouro, ou seja, lava-loiças e fogão na mesma parede e frigorífico na parede em frente.
Os sonhos da minha vida, quero-os como os sonhei, para o melhor e para o pior. E mais mão digo, mas a culpa é sua que põe as coisas a referendo.

Helena disse...

Maria de Jesus,
muito obrigada pelas suas intervenções. Eu fiz o referendo porque precisava de ajuda para pensar, e são as diferentes sensibilidades de quem aqui comenta que me fazem avançar.
Também a sensibilidade do meu irmão me faz avançar: será realmente tão importante para mim esconder a cozinha? Será realmente tão importante ter o tal triângulo de ouro? A minha "área de conforto" ancora-se mais numa cozinha prática ou numa sala bonita?
Continuo a pensar.

Izzie disse...

No meu ponto de vista uma cozinha deve ser prática, sim. Por isso é que no desenho de uma cozinha existem regras para colocação de 3 elementos essenciais: frigorífico, lava-loiça e fogão. Há soluções essenciais, a de linha ou triângulo. A questão a saber é como cada um prefere trabalhar. Por mim admito, a minha cozinha é em linha e não me agrada; um dia que a remodele faço em triângulo.
Outro inconveniente que vejo na nº2 é que quem cozinha está de costas para a zona de mesa.
Mas lá está, cada um sabe o que mais lhe agrada ou serve.
Também tenho as bancadas cheias de coisas, como torradeira, máquina de café, jarro eléctrico, fruteira, bloco de facas...

jj.amarante disse...

Gosto mais da nº1 com esse muro de 1,10m a resguardar o desalinho. Quanto a lareiras acho alguma graça em hotéis de charme, de vez em quando, onde fazem parte do pacote de acolhimento. Nunca na minha casa, fazem fumo dão cabo da coluna dorsal do infeliz que tem que transportar a lenha e para não sujarem a sala têm que ficar por trás de um vidro, perdendo grande parte da graça.

Helena disse...

Izzie,
parece-me que entendeste alguma coisa mal. Na nº 2 quem está ao fogão tem a mesa à sua esquerda, e quem está ao lava-louças tem a mesa à sua direita. Aquele bloco da cozinha é prolongado por uma longuíssima mesa.
(Mas nada disto torna a cozinha mais prática, é certo. Eu vou ter mesmo de optar entre o bonito e o prático. E estou bastante tentada a ir para o bonito...)

Helena disse...

jj. amarante,
lembrou bem, a lareira. Pois é, carregar a lenha, limpar as cinzas, limpar o pó que se espalha por toda sala (tenho uma lareira aqui na sala de trabalho, e até me assusto com a camada de pó em cima dos livros), limpar os vidros.
E tem um outro problema: a casa vai ser muitíssimo bem isolada. Se acendermos uma lareira, vamos ter de abrir a janela, porque vai ficar um calor que não se aguenta.

Rita Maria disse...

Eu gosto bastante mais da primeira, tirando fazer-me confusão a chaminé por cima do fogão a meio do espaço. Nunca me sinto confortável a trabalhar no espaço totalmente aberto, gosto de saber que tenho as "costas quentes", protegidas por assim dizer.

Rita Maria disse...

(ou seja: eu entre o prático e o bonito costumo optar pelo bonito, mas neste caso também acho o prático mais bonito, não acho o facto de uma divisão ser grande bom ou bonito per se, talvez até pelo contrário. E acho que se tivesse essa mesa no seguimento da minha área de trabalho acabava a usá-la como tal, acrescentando à confusão)

Helena disse...

Ai! Pára tudo! A Rita é a favor da primeira cozinha.
(E o pior é que acho que o meu irmão ia gostar de ti, e aceitar, e nem te chamava trenga nem nada... ;-) )

Luna disse...

Estou com a Izzie e com a Rita, pelas mesmas razões - aliás vinha aqui dar o meu bitaite e vi que concordam comigo.
A primeira parece-me mais prática e com mais área de trabalho. A segunda é muito linda, mas acho que iam acabar por ter de pôr acrescentos e bancadas móveis para compensar a falta de espaço mais tarde.

Helena disse...

Luna, eu estava nessa fase no domingo passado. Mas depois olhei para a minha cozinha: tenho (incluindo o lava-louças e o fogão) um total de 3,40 m de bancada. Esta seria 3,50. No entanto, na minha cozinha actual tenho as bancadas atafulhadas de tralha, e acabo por ter apenas uns 50 cm para trabalhar (ou, vá, 50 x 50 de um lado e 50 x 30 do outro).
Ao fazer essas contas, comecei a pensar que um metro de bancada sem tralha nenhuma em cima é mais do que tenho agora.
Mas vou continuar a pensar.

Luna disse...

Mas essa tralha é necessária, imagino, e vai ser posta onde? Em cima da bancada livre, once again imagino - é muito lindo pensar que depois se arruma sempre dentro dos armários, mas isso depois acaba por não acontecer, penso eu de que.

Helena disse...

Essa tralha vai para o nicho do armário encostado à parede do fundo: são 180 cm de espaço para tralha. A única coisa que não deixaria aí seria a cafeteira eléctrica, porque temo que o vapor de água a ferver estrague o armário.

snowgaze disse...

Se por acaso escolheres a segunda cozinha, uma ideia é pores a máquina da louça também na ilha, e ter espaço para poder retirar a louça directamente para o armário que fica encostado à parede. Conheço pessoas que têm essa configuração e estão satisfeitíssimas, poupa tempo e esforço a andar para a frente e para trás com pratos e talheres.

snowgaze disse...

Outra coisa é ter o máximo de espaço de arrumação possível em metros cúbicos mesmo, eu se calhar escolhia a cozinha mais em função de ter o máximo de arrumação possível.

João Martins disse...

Helena minha querida amiga, sem dúvida a segunda, porque e aquela que tu mais gostas(eu também )!

Helena disse...

Tu é que me entendes, João!
:)

mdsol disse...

Que sei eu...Não te sei ajudar.

Mas acho que te entendo a saltitar entre o desafio do "novo" e a segurança do mais "conhecido".


De qualquer modo, fique de um modo ou de outro vai ficar bem. Isso é certo.

E eu que estou de longe quase juarava que a escolhida acabará por ser a... eh eh eh Não digo, mas se nos informares da decisão, fica combinado que te digo se é a que eu julgo ou não. :))))

:)

Paulo disse...

Como gosto muito de votar, aqui vai: SIM. O teu irmão sabe-a toda.

No referendo que ainda não foi aprovado, estaria tentado a votar também SIM, com a condição de que se colocasse um elevador para o transporte da lenha.

Helena disse...

Paulo, tu tens bom faro para apostar no cavalo vencedor...
Acho que vais gostar de ver. Vai ficar um mimo.
Quanto à lareira: aquela sala ia ficar como o calendário da mercearia Don Manolo, lembras-te?, aquele que tinha uma jarra com flores e pela janela se via um prado com vaquinhas e um lago e a lua e assim. :)

Helena disse...

E então, Zélia, qual pensavas que ia ser?
(Obrigada pela confiança "de qualquer modo vai ficar bem". Acho que é isso mesmo.)