07 julho 2012

correio das ilhas III (9)

Olá, moças
(ia escrever "raparigas", mas depois lembrei-me que algum brasileiro pode ler isto, e é melhor evitar mal-entendidos no espaço atlântico)

Em Ponte de Lima decorre um festival - o "Percursos da Música" - e fomos assistir ao espectáculo de abertura. Era uma "viagem a Buenos Aires", mistura de música e poesia.
A última vez que assistimos a uma coisa deste género foi na Filarmonia de Berlim, no dia em que Frederico, o Grande, fazia 300 anos: os melhores músicos da Filarmónica e nomes sonantes dos palcos, como Armin Mueller-Stahl, lembravam as músicas e as ideias da época, nomeadamente as cartas entre o imperador e Voltaire. Ir da Filarmónica de Berlim para o Teatro Diogo Bernardes de Ponte de Lima é um salto um pouco arriscado. Mas nós fomos, e ainda bem, porque foi um bom exemplo de como o entusiasmo e a enorme entrega de um punhado de artistas e técnicos é capaz de montar, com um mínimo de meios, um espectáculo digno de se ver. Capaz de dar algumas lições de criatividade e dinamismo a quem faz coisas semelhantes na Filarmonia. Sim: gostava de ver o que é que o Pedro Lamares, que encenou esta viagem a Buenos Aires, seria capaz de fazer no palco central da Filarmonia ou da Kammermusiksaal. Estava capaz de apostar que seria algo memorável.
No fim, uma amiga falava-me da pianista, a Olga Amaro. Eu tinha reparado na delicadeza dos seus dedos. A minha amiga dizia-me que é uma extraordinária acompanhante, que ajuda imenso os cantores - alunos da tal Academia de Música - com quem interpreta as peças.
Então é isso: em tempos de troika, um grupo de resistentes ousa a cultura. Se me deixassem mandar, no dez de Junho eram todos corridos a medalhas por valorosos serviços prestados à pátria. Inclusivamente o fotógrafo, cujo nome não revelo porque não deixam fazer fotografias.


   


8 comentários:

mdsol disse...

Continuação de boas férias. :)))

Carla R. disse...

Olá Helena,
Que bom que estejas rodeada de creatividade e boa música, assim tenho a certeza que estás a passar boas férias. Por aqui faz-se os possíveis para se rodear do mesmo, felizmente tem sido fácil, obrigada.

Gosto muito de ser chamada de rapariga, os brasileiros podem abrir excepções para o nosso caso.

Paulo disse...

O fotógrafo captou o clima muito bem. Obrigado pela reportagem.

Helena disse...

:)

Helena disse...

:)

assime disse...

Foram felizes na escolha desta viagem. Estas jovens e Pedro Lamares, têm-nos oferecido espectaculos deslumbrantes. Infelizmente não consegui ver estes. Mas tenho a certeza que quem os viu, por certo os veria novamente. Eu fico a aguardar nova apresentação. Recomendo vivamente estes artistas.
Parabéns pela descrição.
Belas fotos.
JFerreira

Maria disse...

Permita-me acrescentar, porque sigo o percurso de Olga Amaro desde a sua infância, Olga Amaro não é só uma extraordinária acompanhante, é também uma grande pianista a solo, com muita formação (licenciatura, mestrado...) em Portugal e no estrangeiro. Tem um currículo invejável mas é difícil em Portugal ter um lugar ao sol quando não se nasce em berço de ouro...

Helena disse...

Maria,
estava a vê-la naquele concerto e a imaginá-la a acompanhar o Jonnas Kaufmann. Ela é excelente!

JFerreira,
agora me dou conta de não ter falado da cantora, a jovem Marina Pacheco. Um autêntico "animal de palco". Foi um gosto vê-la!
Ou seja: não me dê os parabéns pela descrição, esqueci-me de referir algo muito importante!