05 novembro 2011

"nunca podemos baixar os braços"

A propósito deste post do Carlos Azevedo (vão ver, tem uma foto muito engraçada para ilustrar a ideia), lembrei-me deste outro, da Snowgaze:

Mais quê?

Ontem almocei com um amigo da faculdade que está por cá de férias. Férias que devia ter gozado em 2010, mas que por causa do trabalho (em Portugal, não cá) teve que adiar. E que me explicou que trabalha 10 a 12 horas por dia, no mínimo, e que apesar de estar de férias, logo às 8 da manhã tinha recebido um telefonema de trabalho que atendeu e que prontamente resolveu o problema de quem o acordou àquela hora. Engraçado, ontem à noite, um senhor engravatado ter ido à televisão dizer que os horários de trabalho têm que aumentar. Mais quê, já agora?

4 comentários:

Carlos Azevedo disse...

Obrigado pela referência, Helena. :-)

O Álvaro é uma boa fonte de inspiração. Como lhe respondi no meu blogue, não tínhamos um político tão caricato desde, pelo menos, o Almirante Pinheiro de Azevedo!

Helena disse...

Belos tempos esses, em que o que vinha de fora era bom...
;-)

Carlos Azevedo disse...

O problema é o Álvaro estar habituado a ter água por todos os lados (a despropósito: e que bela cidade parece ser Vancouver); e, como aqui (em Portugal) somos todos uns preguiçosos e/ou subsídio-dependentes, não pode contar com ninguém para o ajudar; logo, trabalha o dobro (ou o triplo) e é vê-lo: a meter água por todos os lados.

Helena disse...

hahahaha