26 novembro 2011

ai, a poesia é uma coisa tão linda...



As saudades que eu tinha destas músicas...
Já já não ouvia disto desde 2002, quando ia fazer as compras no supermercado chinês da Irving Street em San Francisco.

Foi um período de troika privada, e eu ia comprar nos chineses, que eram de longe os supermercados mais baratos. Como é que eles fariam para ter aqueles preços, muitas vezes menos de metade de produtos semelhantes em supermercados americanos? Muito borrego comprei eu lá, sem saber se seria ahem ahem. Mas parece que não, parece que ahem ahem é mais caro que borrego. Também houve aquele momento gago em que estavam a vender um sapo vivo por cima do peixe, e o sapo urinou. Bem, é tudo organic...  

Às vezes ia à China Town, a uma padaria que lá conheço, comprar bolos muito parecidos com pão-de-ló. Estranho: quando tinha saudades de casa, ia à China Town. A culpa deve ser do Afonso de Albuquerque e do Jorge Álvares, que andaram a inventar a globalização muito antes de ela nos cair em cima da cabeça.

2 comentários:

Gi disse...

Ah, traidora! A comprar aos chineses e mandar mais europeus para o desemprego!
Sim, é verdade, e quem não faz isso todos os dias? Incluo-me no lote, claro - embora só, talvez, dia sim dia não ;-)

Helena disse...

A culpa não é minha, é da troika!
;-)

Quando vem a crise, os únicos que enriquecem são os que vendem porcarias baratas.
Embora a avó do meu marido dissesse "nós somos demasiado pobres para poder comprar barato". E é, acho eu: o barato estraga-se bem mais depressa.
Mas não estou a falar de comida, claro.

Já estou a divagar. A culpa é da troika, e desta música maravilhosa... ;-)